Em entrevista ao canal Fox News, na manhã desta quinta-feira (8), o presidente dos EUA, Donald Trump, levantou a possibilidade de ter se infectado com o coronavírus em evento com familiares de militares americanos mortos em combate, as chamadas “Gold Star families”.

(Foto: Instagram)

 

O republicano sugeriu que parentes de membros das Forças Armadas, em evento na Casa Branca, no dia 27 de setembro, teriam se aproximado demais ao contar histórias de entes mortos enquanto serviam o país.
“Eles chegaram perto do meu rosto às vezes, queriam me abraçar e me beijar. E beijaram. E, francamente, não vou dizer a eles para recuarem. Não vou fazer isso”, disse o presidente americano.

A declaração de Trump veio na sequência de críticas ao seu adversário, o democrata Joe Biden, que fez parte da campanha a partir de seu porão em Delaware. O líder americano destacou que é presidente do país, que não pode ficar “num porão”. Então citou eventos em que esteve, como o encontro com as “Gold Star families”.

De acordo com reportagem da revista The Atlantic publicada em setembro, Trump fez no passado repetidos comentários depreciativos sobre membros das Forças Armadas americanas que foram capturados ou mortos. Ele nega.

Em um dos episódios, o republicano se referiu aos militares enterrados no Cemitério Americano Aisne-Marne em Belleau, na França, como “perdedores” e “otários”.