Dois dias depois de deixar o hospital militar Walter Reed, onde esteve internado para tratar a Covid-19, o presidente dos EUA, Donald Trump, publicou um vídeo em suas redes sociais chamando de “cura” sua recuperação e prometendo a todos os americanos o mesmo tratamento que ele recebeu.

Entre outros medicamentos, o republicano tomou o coquetel REGN-COV2, produzido pela farmacêutica Regeneron, e que faz parte de um grupo de drogas conhecidas como “anticorpos monoclonais”.

O medicamento ainda está sendo usado de forma experimental, mas é considerado o tratamento mais promissor para a Covid-19, já que antivirais como o remdesivir e substâncias como a cloroquina e a ivermectina trouxeram pouco benefício aos pacientes.

“Foi inacreditável, me senti tão bem três dias atrás como me sinto agora”, disse o presidente, falando de pé nos jardins da Casa Branca. “Eu chamo isso de cura! É mais importante para mim do que a vacina.”

Os anticorpos monoclonais são cópias sintéticas de anticorpos humanos que agem contra o vírus e que estão sendo estudadas para uso em pacientes nos estágios iniciais da doença.

Foto: Reprodução/Instagram

Trump disse que está esperando uma autorização de uso emergencial do medicamento pelas agências reguladoras, afirmou que as farmacêuticas Regeneron e Eli Lilly já produziram muitas doses do remédio e prometeu que ele será distribuído de graça.

“Você vai melhorar mais rápido, assim como eu.”

Segundo o presidente americano, ele ter recebido o diagnóstico de Covid-19 a poucas semanas da eleição foi uma “benção disfarçada”. “Foi uma benção de Deus que eu peguei [o vírus]. Eu peguei, ouvi falar dessa droga, disse ‘deixa eu tomar’, e foi incrível como ela funcionou.”

“Quero que vocês tenham o que eu tomei. E vai ser de graça”, repetiu o americano, que disse que o Exército será o responsável pela logística de distribuição.

Mais uma vez, Trump insistiu na narrativa de culpar a China pela doença que já matou mais de 211 mil americanos. “Não foi sua culpa que isso aconteceu”, disse, referindo-se aos infectados pelo patógeno. “Foi culpa da China. E a China vai pagar um alto preço pelo que fez a este país. Vai pagar um alto preço pelo que fez ao mundo.”

Em setembro, um estudo preliminar da empresa Eli Lilly mostrou que o uso desses anticorpos reduziu em 72% a chance de pessoas infectadas desenvolverem doença grave. Na quinta-feira (1), a empresa Regeneron divulgou à imprensa resultados semelhantes, obtidos a partir de um grupo de cerca de 400 pessoas: conseguiram reduzir a quantidade de vírus no organismo, melhorar o quadro clínico do paciente e diminuir a duração dos riscos.