Após Lady Gaga e Jon Bon Jovi realizarem shows em campanha a Joe Biden, o atual presidente americano Donald Trump criticou os dois artistas. As eleições oficiais dos Estados Unidos acontecem nesta terça-feira (2).

Lady Gaga no comício de Joe Biden (Foto: Getty Images)

 

Em um discurso para apoiares, Trump puxou o nome de Gaga e a plateia vaiou a artista imediamente. Em sua fala, sem dar detalhes, Trump disse que “sabe muitas histórias” de Gaga e que ela “não é tão boa assim” como pensam. Depois, ele chamou Bon Jovi de um tremendo “puxa-saco” dele.

Os dois artistas também fizeram shows para promover a candidatura de Hillary Clinton, que perdeu a última eleição para Trump.
Gaga se tornou a inimiga número um de Trump por causa de sua campanha insistente por Biden redes sociais.

Nos últimos dias, a atriz e cantora vem incentivando os fãs a votarem no concorrente de Trump. Em um deles, Gaga fez uma montagem com seus melhores figurinos para chamar a atenção de seus seguidores e pedir mais votos a Biden.

Em um outro, vestindo uma roupa com estampa de camuflagem, ela toma cerveja e pede que todos votem “pela América”. A equipe de Trump não foi para cima de Gaga nas redes sociais. No domingo (1), a diretora da campanha, Abigail Marone, tuitou uma postagem de 2012 que lembra o apoio que

Gaga deu a Yoko Ono em uma campanha ambiental, a chamando de “ativista do ‘anti-fracking'”. “Fracking” é o processo de perfurar a terra e, em seguida, injetar produtos químicos, água e areia para liberar petróleo e gás. O processo é controverso porque é poluente, mas gera uma empregos nos estados americanos ricos em petróleo.

Em reposta ao tweet de Marone, Gaga apenas escreveu diversos emojis e reforçou seu recado: “Vote Biden”.