Uma americana que afirma ter sido levada ao Reino Unido aos 17 anos para transar com o príncipe Andrew, terceiro filho da rainha Elizabeth 2ª, implorou aos britânicos que “fiquem ao seu lado” e “não aceitem o que aconteceu com ela”.

Virginia Giuffre, uma das acusadoras do criminoso sexual condenado Jeffrey Epstein, afirmou ter sido levada para Londres por Epstein em 2001.

Ela descreveu como a namorada de Epstein, que cometeu suicídio na cadeia após ser acusado de exploração sexual de menores, disse a então adolescente o que deveria fazer para o duque de York.

Príncipe Andrew e Virginia – reprodução

O príncipe nega “categoricamente” ter tido qualquer contato sexual com a americana.

Virginia Giuffre, antes chamada Virginia Roberts, concedeu sua primeira entrevista à TV britânica como parte de um especial de uma hora do programa Panorama, da BBC.

Na entrevista, conta detalhes de como foi apresentada a Andrew.

Segundo ela, o príncipe, Epstein e sua então namorada, a socialite Ghislaine Maxwell, levaram a então adolescente para a boate Tramp em Londres.

“Ele é o dançarino mais medonho que eu já vi em minha vida”, relata. “Seu suor basicamente chovia para todos os lados.”

Giuffre diz ter recebido instruções de Maxwell quando eles deixaram o clube noturno.

“No carro, Ghislaine me falou que eu teria que fazer para Andrew o que eu fazia para Jeffrey e aquilo me deixou doente.”

Ela conta ter feito sexo com o príncipe Andrew na casa de Maxwell em Belgravia, distrito no centro de Londres.

Príncipe sugere que esta foto, em que aparece com a então adolescente, foi adulterada

Fotografia com a jovem

Em entrevista ao programa da BBC Newsnight no mês passado, o duque de York afirmou não se lembrar de conhecer Virginia Roberts e que ele tem uma questão de saúde que o impede de suar.

Sobre a acusação de ter feito sexo com a jovem, o príncipe afirmou que ele poderia afirmar “absoluta e categoricamente” que isso “nunca aconteceu”.

Em declaração à Justiça, Ghislaine Maxwell afirmou que as acusações são falsas.

Questionado sobre uma fotografia em que aparece abraçando a jovem americana pela cintura na casa de Maxwell, o príncipe afirmou não se recordar das circunstâncias do momento em que a imagem foi registrada e questionou o lugar de sua mão na fotografia.

“Isso é o que eu descreveria como… essas são minhas roupas de viagem, (que uso) se eu estiver indo para o exterior”, acrescentou Andrew. “Ninguém pode provar se a fotografia foi ou não manipulada, mas não me lembro de ter sido tirada.”

Na entrevista feita para o programa Panorama, gravada antes da entrevista com o príncipe Andrew exibida no programa News Night, da BBC, Giuffre afirma: “As pessoas do lado dele vão continuar inventando desculpas ridículas, como se o braço dele tivesse sido alongado ou a foto, alterada”.

“Mas isso é uma bobagem”, afirmou. “Ele sabe que isso aconteceu. Eu sei que aconteceu. E há apenas um de nós falando a verdade.”

Em resposta ao programa Panorama, o Palácio de Buckingham afirmou que o duque de York era solidário com as vítimas de Epstein e com “todos afetados e quer alguma forma de encerramento para o caso”.

Ainda segundo o comunicado, o príncipe Andrew nega ter tido qualquer tipo de contato sexual ou relacionamento com a jovem americana e “qualquer alegação em contrário é falsa e sem fundamento”.

Leia a reportagem completa AQUI na BBC