Um funcionário do parque de diversões da Disney no Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, enviou uma mensagem no Facebook para Abigail Disney, sobrinha-neta de Walt Disney, para chamar sua atenção para as más condições de trabalho no empreendimento criado por sua família.

 

Abigail Disney disse uma vez que, quando menina, ela tinha vergonha de sua fortuna. GETTY IMAGES

 

“Você não me conhece, mas nós realmente precisamos da sua ajuda”, disse o funcionário, segundo contou Disney à apresentadora Zainab Salbi, no podcast Through her eyes (Através dos olhos dela, em tradução livre), do site Yahoo News, em julho.

Embora ela não trabalhe para a empresa, Disney, que é uma ativista muito crítica em relação às desigualdades econômicas nos Estados Unidos, visitou o parque em 2018 para verificar as reclamações.

Embora no podcast seja dito que a Disney estava “disfarçada” ao ir ao parque, Salbi esclareceu na quarta-feira em sua conta no Twitter que sua entrevistada “nunca” disse que havia estado no local desta forma.

Segundo Disney, os depoimentos que ouviu a fizeram ficar “furiosa”, embora a Walt Disney Company negue que seus funcionários tenham más condições de trabalho.

‘Procurar por comida no lixo’

No podcast, Abigail Disney disse ter conversado com funcionários em sua visita. “Todas as pessoas com quem falei disseram-me: ‘Não sei como posso sustentar essa cara de alegria quando tenho que ir para casa e procurar comida no lixo de outras pessoas'”, disse a milionária.

“Eu estava com tanta raiva quando saí de lá, porque meu avô (Roy Disney, irmão de Walt Disney) me ensinou a reverenciar essas pessoas que recebem seus pedidos, servem sua bebida. Elas são parte da receita para o sucesso”, disse ela.

“Em uma empresa (Disney) que nunca teve tanto lucro, não há desculpas para os trabalhadores não terem dinheiro para comprar comida, racionarem seus remédios…”

Atualmente, a Disney tem canais de rádio e televisão, parques de diversões, estúdios de cinema e uma série de outros negócios. Segundo a Forbes, a empresa está avaliada em US$ 238 bilhões (R$ 891,2 bilhões) e ocupa o 27º lugar na lista das maiores empresas dos Estados Unidos.

 

Clique aqui e leia na íntegra