O rescaldo da megaexplosão causada por nitrato de amônio que devastou Beirute, capital do Líbano, pode causar sérios riscos à saúde da população, alerta um especialista ouvido pela BBC News Brasil.

Segundo Gabriel da Silva, professor do Departamento de Engenharia Química e Biomolecular na Universidade de Melbourne, na Austrália, o principal dele é a inalação de gases tóxicos.

“Uma explosão de nitrato de amônio produz grandes quantidades de óxidos de nitrogênio. O dióxido de nitrogênio (NO₂) é um gás vermelho com mau cheiro. Imagens de Beirute revelam uma cor avermelhada distinta na nuvem de gases que se formou a partir da explosão”, diz ele em entrevista à BBC News Brasil por telefone.

“Os óxidos de nitrogênio estão geralmente presentes na poluição do ar urbano e podem irritar o sistema respiratório. Níveis elevados desses poluentes são particularmente preocupantes para pessoas com problemas respiratórios”, acrescenta.

 

Imagem do momento da explosão (Foto: Reprodução/WhatsApp)

 

Silva lembra que a fumaça deve apresentar um risco à saúde dos moradores da capital libanesa “até que ela se dissipe naturalmente, o que pode levar vários dias, dependendo do clima”.

Ele acrescenta que outro risco para a saúde é a inalação de poeira das construções que desabaram devido à magnitude da explosão.

Vale lembrar que essa nuvem de poeira foi a causa de problemas respiratórios, quando não de morte, de muitos após o atentado às Torres Gêmeas em Nova York, em 11 de setembro de 2001.

Vários deles inalaram nos dias que se seguiram ao ataque partículas microscópicas resultantes de materiais de construção moído, muitos deles altamente tóxicos, como amianto, chumbo, fibra de vidro e mercúrio.

Clique aqui para ler a matéria completa na BBC Brasil.