Os terremotos registrados na Califórnia na semana passada lembraram aos moradores do Estado americano que, em algum momento do futuro, o temido tremor conhecido como “Big One” (O Grande) chegará.

Terremoto na Califórnia na última sexta-feira (5)  Foto: Reprodução/TV Globo

 

Trata-se do esperado megaterremoto potencialmente devastador que, em algum momento, pode atingir o oeste americano a partir de uma gigantesca e famosa rachadura chamada falha de San Andreas – resultado da movimentação de duas placas tectônicas que trazem instabilidade sísmica à região.

“(O Big One) não é sobre se ele vai acontecer, mas quando ele vai ocorrer”, dizem os geólogos que estudaram a área.

Os terremotos dos últimos dias, os mais poderosos em 20 anos, foram sentidos com maior intensidade na cidade de Ridgecrest, a cerca de 250 quilômetros de Los Angeles.

Não houve vítimas. Porém, a região registrou incêndios e danos em edificações e estradas.

Esse cenário alarmou moradores de cidades como Los Angeles, que viram lojas de material de camping e kits de primeiros socorros esgotarem seus estoques no fim de semana.

O que é o ‘Big One’?

Em inglês, “Big One” significa algo como “O Grande”.

“O Big One será um terremoto de magnitude de 7,8 ou 8 (na escala Richter) na região da cidade de San Andreas”, disse Lucy Jones, sismóloga de referência na região, em entrevista a veículos de imprensa locais.

Por sua parte, o jornalista Jacob Margolis, apresentador de um podcast chamado The Big One, disse à BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC, que o “Big One significa que não devemos considerar apenas a magnitude do terremoto, mas o nível de dano (que ele vai causar)”.

A Califórnia é uma região propensa a terremotos, uma vez que está sobre uma série de rachaduras da crosta terrestre, onde placas tectônicas se encontram e se movimentam.

Leia a matéria completa em BBC Brasil, clicando aqui.