Cachorro ou lobo? A pergunta intriga cientistas que estudam um filhote de 18 mil anos que foi encontrado praticamente intacto na Sibéria, região da Rússia.

Foto: Sergey Fedorov/BBC

 

O corpo do animal, que tinha dois meses quando morreu, foi preservado graças ao permafrost (solo composto por terra, gelo e rochas congelados) da região da Rússia, com pelo, nariz e dentes intactos.

A técnica de datação por radiocarbono permitiu determinar tanto a idade do animal ao morrer quanto o período em que ele esteve congelado.

Já a análise genética, por outro lado, indicou que o filhote era macho.

Mas Love Dalén, do Centro de Paleogenética da Suécia, levanta a questão em aberto: “Era um membro de uma alcateia ou o cachorro mais antigo já encontrado?”.

Clique aqui para ler a matéria completa em BBC Brasil.