A morte de uma mulher de 21 anos no Reino Unido, sem doenças pré-existentes, voltou a acender o alerta de que jovens não estão imunes a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Chloe Middleton morreu na semana passada, mas a notícia só foi divulgada nesta quarta-feira, 25 de março.

(Foto: Arquivo Pessoal)

 

Em uma publicação no Facebook, sua tia, Emily Mistry, disse que Middleton “faleceu no Covid-19” e pediu que outras pessoas “façam sua parte” para impedir a propagação da doença.

Segundo dados do governo britânico, a maioria dos pacientes que morreram com coronavírus tinha condições médicas pré-existentes.

Autoridades de saúde demonstram preocupação de que os jovens ignorem os avisos sobre a propagação do vírus, uma vez que acreditam que a doença apenas acomete idosos.

Mas em uma série de postagens no Facebook, a família de Middleton pediu ao público que seguisse as recomendações para “ficar em casa” e levasse o vírus “a sério”.

‘De coração partido’

Sua mãe, Diane Middleton, escreveu: “Por favor, pense novamente”.

“Falando de uma experiência pessoal, esse vírus tirou a vida da minha filha de 21 anos.”

Mistry acrescentou: “Minha linda sobrinha de 21 anos faleceu de Covid-19”.

“Ela não tinha doenças pré-existentes.”

Mistry disse que a família ficou “arrasada além da conta”.

“A realidade deste vírus está apenas se desenrolando diante de nossos olhos”, acrescentou. “Por favor, sigam as diretrizes do governo”.

“Faça a sua parte. Proteja-se e proteja os outros. O vírus não está se espalhando, as pessoas estão espalhando o vírus.”

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.