Um grupo de pesquisadores, entre eles um brasileiro, descobriu na Alemanha o manuscrito mais antigo que fala sobre a infância de Jesus. O escrito, em grego, é de mais de um milênio e meio atrás.

Por muito tempo, o fragmento de papiro passou despercebido na biblioteca da Universidade de Hamburgo, por acharem que seu conteúdo era insignificante. O manuscrito é uma cópia do Evangelho de Tomé, que não está na Bíblia. O professor brasileiro Gabriel Nocchi Macedo e papirologistas do Instituto de Cristianismo e Antiguidade publicaram suas descobertas na revista Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik.

Documento relata um milagre que Jesus Cristo teria realizado quando criança. O menino estava em um lago e moldou com barro 12 pardais. Seu pai, José, teria o repreendido por estar em atividades no sábado sagrado. Com cinco anos, ele teria batido palmas e deu vida aos pássaros.

escritos-infancia-de-jesus
Foto: Reprodução/Staats- und Universitätsbibliothek Hamburg/Public Domain

O fragmento tem cerca de 13 linhas. Além disso, os pesquisadores acreditam que foi criado como um exercício de escrita em uma escola ou mosteiro, como indica a caligrafia desajeitada e os traços irregulares.

“Esta é uma descoberta significativa para o campo de pesquisa, já que o manuscrito remonta aos primórdios do Cristianismo. Até agora, um códice do século XI era a versão grega mais antiga conhecida do Evangelho de Tomé, que provavelmente foi escrita no século II dC”, afirma o grupo de pesquisadores da Universidade de Hamburgo.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Grupo de pesquisadores descobre manuscrito mais antigo sobre infância de Jesus

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.