O governo francês decidiu, neste sábado (2), prolongar por dois meses, até 24 de julho, o estado de emergência sanitária em vigor no país para combater a pandemia de coronavírus, anunciou o ministro da Saúde, Olivier Véran.

Em vigor desde 24 de março, o estado de emergência sanitária foi prorrogado porque, de acordo com o governo, a suspensão programada para 23 de maio “seria prematura” e “os riscos de retomada da epidemia” são “comprovados em casos de interrupção súbita das medidas em andamento”.

Foto: Reprodução/Agência Brasil

O projeto de lei foi examinado neste sábado no conselho de ministros e deve ser apresentado a partir de segunda-feira ao Parlamento.

O texto especifica, principalmente, as condições de quarentena impostas àqueles que chegam à França e estão infectados com o vírus.

Também aponta a implementação de um “sistema de informação” que afeta os doentes e seu entorno por até um ano.

O objetivo é “reforçar o quadro jurídico” e “expandi-lo” para “integrar os desafios do desconfinamento”, que deve começar em 11 de maio, disse o ministro Véran, ao fim da reunião.

“Vamos ter que conviver com o vírus por um tempo”, enfatizou. “Aprender a conviver com o vírus: esse é o desafio dos próximos meses”, reiterou o ministro do Interior, Christophe Castaner.

O novo coronavírus causou 24.594 mortes na França, de acordo com o último balanço oficial divulgado na noite de sexta-feira.