O presidente americano anunciou nesta sexta (29) que os Estados Unidos estão terminando seu relacionamento com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e vão passar a direcionar os pagamentos a outras organizações de saúde pública.

Os EUA são os maiores doadores da OMS – em 2019, o país desembolsou US$ 400 milhões (R$ 2,06 bilhões), equivalente a cerca de 15% do orçamento da organização sediada em Genebra.

No mês passado, Donald Trump havia suspendido o repasse de fundos à instituição. O líder republicano justificou a decisão ao criticar a forma com que a entidade tratou a pandemia de coronavírus.

Foto: Divulgação

 

Durante entrevista coletiva na Casa Branca à época, Trump afirmou que a OMS “falhou em seu dever básico e deve ser responsabilizada”. Disse também que a organização promoveu desinformação criada pela China sobre o vírus –o que, na opinião do presidente, provavelmente levou a um surto maior do que o previsto.

O republicano criticou a entidade por ter “acreditado nas garantias dadas pela China” e culpou a OMS por um aumento de 20 vezes do número de casos em todo o mundo.