O grupo extremista Província do Estado Islâmico na África Ocidental (ISWAP) divulgou na última quinta-feira um vídeo que mostra 11 reféns cristãos sendo decapitados por terroristas.

As mortes ocorreram depois que os reféns pediram, em um vídeo anterior, que a Associação Cristã da Nigéria (CAN) negociasse sua libertação. Segundo a mídia local, o ISWAP ainda poupou a vida dos dois muçulmanos.

(Foto: Reprodução)

O EI disse que a ação faz parte de sua campanha, lançada no dia 22 de dezembro, para “vingar” as mortes de seu líder Abu Bakr al-Baghdadi e seu porta-voz, na Síria, em outubro deste ano. Desde então, o grupo vem reivindicando uma enxurrada de ataques em vários países.

Não foram dados detalhes sobre as vítimas, que eram todos homens, mas o EI alega que elas foram “capturadas nas últimas semanas” no nordeste do estado de Borno, na Nigéria, onde militantes lutam há anos para estabelecer um estado islâmico separado.

Para ler a matéria completa no Extra clique aqui.