CHINA MANNED SPACE AGENCY

 

Restos da estação espacial chinesa Tiangong-1 devem começar a cair na Terra nesta segunda-feira, segundo os cientistas que estão monitorando o movimento dela. A Agência Espacial Chinesa afirma que ela irá entrar novamente na atmosfera nas próximas 24 horas – o que coincide com a previsão da Agência Espacial Europeia (ESA).

A Tiangong-1 faz parte do ambicioso programa espacial da China e era o protótipo para uma estação tripulada, que tem previsão para ser lançada em 2022.

Entrando em órbita em 2011, a Tiangong-1 terminou sua missão cinco anos depois e a expectativa era que ela caísse de volta na atmosfera entre março e abril deste ano. Agora, a projeção da ESA é que ela toque a Terra nesta segunda, 2 de abril, por volta de 7h25, no horário de Pequim (21h25 deste domingo no horário brasileiro).

A maior parte da estação deve explodir quando chegar na atmosfera, mas alguns pedaços dela podem “sobreviver” até chegarem à superfície da Terra.

Segundo o Departamento de Engenharia Espacial da China, a estação não irá “colidir com a Terra” como nos filmes de ficção científica, mas irá “se transformar em uma esplêndida (chuva de meteoros)”.

Onde ela vai cair?

A China confirmou ainda em 2016 que havia perdido contato com a Tiangong-1 e que não poderia mais controlar suas ações. Sendo assim, já não seria possível prever onde a estação iria cair.

De acordo com a Agência Espacial Europeia, ela deve entrar de novo na atmosfera em “algum lugar entre 43º N e 43ºS”, cobrindo um vasto trecho entre o norte e o sul da linha do Equador.

Isso significaria que a estação poderia cair em qualquer lugar numa faixa entre Nova Zelândia e a metade oeste dos Estados Unidos.

Como ela irá cair?

A estação está caindo gradativamente e chegando perto da Terra.

“Sua variação de queda vai ficando mais rápida conforme a atmosfera onde a estação está tocando vai ficando mais espessa”, explicou à BBC Elias Aboutanios, vice-diretor do Centro Australiano Para Engenharia e Pesquisa Espacial.

“A estação vai começar a se aquecer quando chegar a mais ou menos 100km da Terra”, completou. Isso deve levar a estação a explodir e “é difícil saber exatamente o que vai sobreviver, já que a China não divulgou detalhes sobre a composição dela”.

A estação pode atingir uma velocidade de 26 mil quilômetros por hora.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.