Após duas semanas de quarentena total, que incluiu o fechamento de fábricas e empresas, a Espanha registrou o menor número de mortes em três semanas: 510 entre sexta e este sábado (11).

De quinta para sexta, o número de mortos havia sido de 605. A Espanha registra até agora 16.353 mortos pelo coronavírus, terceiro maior número do mundo (atrás de Itália e EUA). O país tem, porém, a maior taxa de mortes por habitantes entre as maiores nações: 350 por 100 mil habitantes.

Os dados de mortalidade na Espanha incluem apenas casos confirmados de Covid-19 (a doença provocada pelo coronavírus).

A taxa de novas infecções também se estabilizou, segundo os números divulgados pelo governo. A Espanha começou a implantar medidas de distanciamento há quatro semanas e, no dia 28 de março, proibiu a saída de casa sem necessidade, sob multa de 600 euros (cerca de R$ 3.400).

 

Foto: EBC

 

O país tem neste sábado 161.852 casos confirmados, número que contabiliza os internados em hospitais (não estão incluídos casos mais leves). Em relação a sexta, o aumento foi de 3%, mesma taxa registrada nos dias anteriores.

Recuperaram-se da Covid-19 até agora 59.019 pessoas na Espanha.

Na sexta, o governo espanhol anunciou a retomada do funcionamento de fábricas e construções a partir de segunda-feira. Para evitar um aumento de contágio com a volta parcial à atividade, o governo vai distribuir máscaras de proteção nas estações de metrô e trem.

As lojas não essenciais e escritórios continuarão fechados, e a orientação para que todos trabalhem de casa quando possível será mantida pelo menos até o dia 26 de abril. O governo deve pedir uma renovação do estado de emergência depois dessa data, mas sinalizou que pode adotar novos relaxamentos, se a tendência de redução nas transmissões de confirmar.

Neste sábado, a Espanha também anunciou que vai prolongar até 26 de abril a proibição de entrada no país de não residentes e não cidadãos.