(Foto: EBC)

Uma onda de críticas se seguiu a declarações do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, nas quais ele contou ter abusado sexualmente de uma empregada quando era adolescente.

Em um discurso neste sábado, Duterte disse que confessou a um padre como enfiou a mão na calcinha de uma empregada enquanto ela dormia.

O partido feminista Gabriela, que representa grupos de direitos das mulheres, disse que Duterte é “indigno de sua posição e deveria renunciar”.

O presidente das Filipinas tem causado indignação com uma série de comentários provocativos, mas continua com popularidade alta.

Em suas últimas declarações, descreveu como entrou no quarto de sua empregada enquanto ela dormia.

“Eu levantei o cobertor. Eu tentei tocar o que estava dentro da calcinha”, disse. “Eu estava tocando. Ela acordou, então, saí do quarto.”

Ele disse que contou ao padre ter voltado ao quarto da mulher e tentado molestá-la mais uma vez.

Segundo o presidente, o padre o aconselhou a rezar “cinco pai-nossos, cinco ave-marias, porque você irá para o inferno”, segundo o site de notícias filipino Rappler.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.