Patrisha Organo estava realizando o seu trabalho rotineiro em um voo da Philippine Airlines na última quarta-feira (7/11), quando foi chamada para uma outra “atividade”.

A comissária de bordo ouviu o choro de uma criança na aeronave poucos minutos após a decolagem.

“Era um choro que faz a pessoa querer ajudar”, escreveu Patrisha no Facebook. “Eu me aproximei da mãe e perguntei se tudo estava bem”, completou a comissária, que tem uma filha de quase 1 ano.

A passageira não tinha leite em pó e não podia amamentar.

Para ler a matéria completa no Portal Extra clique aqui.