A Universidade de Oxford, no Reino Unido, vinculou o agravamento e morte de infectados pelo novo coronavírus com o uso da hidroxicloroquina através de um estudo preliminar com mais de 1.500 infectados. O resultado da análise foi publicado pela instituição, que integra a corrida atrás de uma vacina contra o vírus, na última quarta-feira (15). As informações são da Revista Exame.

Foto: AEN

Os pesquisadores compararam 1.561 pacientes que receberam a cloroquina como medicamento e 3.155 que tiveram o tratamento-padrão para a Covid-19.

Dos mais de 1.500 que tomaram o remédio, 26,8% morreram em uma média de 28 dias – porcentagem um pouco menor para o segundo grupo, de 25%.

Para ler a matéria completa na Exame, clique aqui.