A polícia da Itália identificou um homem austríaco de 50 anos como o responsável por quebrar três dedos de uma estátua centenária no Museu Canoviano em Possagno, enquanto posava para uma foto com a obra de arte. O incidente aconteceu no último dia 31 de julho.

O momento inusitado foi flagrado por câmeras de vigilância do museu. Nas imagens é possível ver quando o homem, cuja identidade não foi revelada, esbarra na estátua durante uma selfie e quebra três dedos do pé direito da escultura de Paolina Bonaparte feita pelo artista Antonio Canova (1757-1822).

Turista posou para foto antes de arrancar os dedos da estátua – Reprodução

Segundo a CNN Internacional, o homem estava com um grupo de oito turistas que visitavam a galeria Borghese, em Roma. Vittorio Sgarbi, presidente da Fundação Antonio Canova, escreveu em um post no Facebook que pediu à polícia “clareza e rigor” nas investigações.

Sgarvi escreveu que o homem não deveria permanecer impune e retornar à sua terra natal. “As cicatrizes de um Canova são inaceitáveis”, ressaltou.

Ainda segundo a CNN, a polícia entrou em contato com a esposa do homem, que chorou ao admitir que o marido era o responsável por quebrar a obra de arte centenária. Segundo ela, o homem também teria se arrependido da atitude após o ocorrido.

Devido à Covid-19, todos os visitantes do museu devem deixar suas informações pessoais para eventual rastreamento de contato, caso um surto esteja vinculado a uma visita ao museu. Foi assim que o homem foi identificado.

Assista: