As bolsas da Europa fecharam em alta, nesta terça-feira, 31, em mais um dia de volatilidade, com investidores reagindo ao sabor das notícias sobre estímulos financeiros e ações governamentais para conter a crise provocada pela pandemia de covid-19. O estímulo que ajudou a inverter o sinal das bolsas no velho continente hoje veio do outro lado do Atlântico, após um tuíte do presidente americano Donald Trump, afirmando defende um pacote de infraestrutura de US$ 2 trilhões no país.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão em alta de 1,65%, aos 320,06 pontos.

As bolsas europeias oscilavam entre perdas e ganhos, até que se firmaram em território positivo com uma série de notícias que, juntas, deram impulso necessário e ativaram o apetite por risco. O presidente dos Estados Unidos foi ao Twitter falar em ações de infraestrutura, ajudando a fortalecer papéis de construtoras e também de empresas do setor aéreo, já que, na noite anterior, o Departamento do Tesouro dos EUA divulgou detalhes sobre como concederá subsídios e empréstimos às companhias aéreas afetadas pela pandemia de coronavírus.

Hoje, a Comissão Europeia deu aval ao programa fiscal da França que permite o adiamento do pagamento de impostos por companhias aéreas do país, fortemente atingidas pelo impacto do coronavírus na economia. Com a medida, que deve beneficiar a Air France, o setor poderá adiar o pagamento de alguns impostos com vencimento até dezembro para 2021 e quitar os tributos em um período de até 24 meses.

 

Divulgação

Em Londres, índice FTSE 100 subiu 1,95%, a 5.671,96 pontos. As ações da IAG – grupo que controla a British Airways,Iberia e Aer Lingus, se valorizaram 6,33%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 1,90%, a 9.935,84. Entre as maiores altas estão as ações da Deutsche Bank, que se valorizaram 2,49%. Já as da Lufthansa caíram 1,38%.

Entre os indicadores, destaca-se o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro, que subiu 0,7% na comparação anual de março, desacelerando fortemente em relação ao aumento de 1,2% observado em fevereiro em meio aos efeitos da pandemia de coronavírus, segundo dados preliminares divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado veio abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 0,8%.

No Reino Unido, o PIB ficou estável do terceiro para o quarto trimestre de 2019 e subiu 1,1% na comparação anual. Na Espanha, o crescimento foi de 0,4% na margem e de 1,8% de outubro a dezembro do ano passado ante os mesmos meses de 2018. O índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, encerrou o dia em alta de 1,88%, aos 6.785,40 pontos.

Na bolsa de Paris, o CAC 40 fechou em alta de 0,40%, a 4.396,12. O índice FTSE MIB, de Milão, subiu 1,06%, aos 17.050,94 pontos. O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, avançou 2,17%, a 4.069,55 pontos.