A médica brasileira Luciana Borio foi confirmada nesta segunda-feira (9) como uma das integrantes da força-tarefa criada por Joe Biden para combater a pandemia de coronavírus.

O presidente eleito dos Estados Unidos revelou os 13 integrantes do grupo através de um comunicado nesta segunda.
A principal função da força-tarefa será aconselhar Biden e a vice-presidente eleita, Kamala Harris, durante o período de transição sobre questões relacionadas à saúde pública, com atenção especial à Covid-19.

Nascida no Rio de Janeiro, Borio vive desde os anos 1980 nos Estados Unidos, onde se formou em medicina pela Universidade George Washington.

 

A brasileira Luciana Borio em depoimento no Senado. Foto: Senado dos Estados Unidos/Reprodução

 

Especialista em doenças infecciosas, ela trabalhou entre 2010 e 2019 (nas gestões de Barack Obama e Donald Trump) para o governo americano em diferentes funções relacionadas ao assunto e participou do combate às epidemias de zika e ebola.

Em seu último cargo, do qual saiu em março do ano passado, ela era a responsável pela da política de preparação médica e biodefesa da unidade de segurança global de saúde do Conselho de Segurança Nacional (NSC, na sigla em inglês), órgão ligado diretamente à Presidência. Em outras palavras, sua principal função era traçar planos para o caso do país viver uma emergência sanitária.

Quase um ano antes, em maio de 2018, a médica brasileira tinha afirmado durante um simpósio científico que uma pandemia de gripe seria a maior ameaça de saúde pública que os EUA poderiam enfrentar.