Pouco mais de duas semanas depois de uma convenção de swing em Nova Orleans (EUA), 41 participantes receberam diagnóstico positivo para o novo coronavírus. As autoridades da cidade chamam o encontro de “evento superespalhador” da Covid-19.

Segundo reportagem do jornal Washington Post, a prefeita LaToya Cantrell disse, por meio de um porta-voz, que a convenção é um “exemplo muito claro do que pode acontecer quando você não obedece às diretrizes de distanciamento social”.

O primeiro relato sobre o surto foi noticiado pelo site Nola.com na terça (1º) após o organizador do evento, Bob Hannaford, publicar em um blog detalhes das falhas de segurança que levaram à situação. “Eu não faria isso de novo se soubesse o que sei agora”, escreveu ele. “Isso pesa sobre mim e continuará pesando sobre mim até que todos estejam 100% melhores.”

 

 

A convenção de swing aconteceu no dia 14 de novembro em um hotel e reuniu 250 pessoas, pouco mais de um décimo do número de participantes do evento em anos anteriores, segundo o Washington Post. Os organizadores disseram que discutiram com as autoridades municipais as medidas que deveriam ser adotadas para evitar a propagação do vírus, embora a cidade não exija uma licença para a realização da convenção, que acontece anualmente.

Os participantes deveriam mostrar um exame negativo para a Covid-19 ou provar que tinham anticorpos para a doença. Além disso, os grupos de socialização eram limitados ao nove ou menos pessoas, e ela eram incentivadas a usar máscaras -a não ser que estivessem comendo ou bebendo.

Em sua publicação, Hannaford chegou a dizer que o evento aparentava ter sido “um grande sucesso”. Um dia após o término da convenção, porém, a convenção registrou o primeiro caso de coronavírus. “Foi uma mulher que deu positivo na noite de segunda-feira [16] após nosso evento. Seu marido deu negativo. Ambos foram testados antes do evento.”

Segundo o Washington Post, cinco pessoas receberam diagnóstico para a doença no mesmo dia. E os outros resultados positivos começaram a aparecer nos dias posteriores. Hannaford afirmou que a maioria dos casos era assintomático ou leve, mas pelo menos uma pessoa teve que ser hospitalizada em estado grave por causa da Covid-19.

“Se eu pensasse por um minuto que ele ou qualquer pessoa acabaria no hospital, certamente não teria realizado nosso evento”, afirmou ele.