Fabiane Rosa – Foto CMC

Por unanimidade de votos, a vereadora Fabiane Rosa, que está em prisão domiciliar, foi expulsa na noite desta quinta-feira (10) do PSD de Curitiba. Ela foi denunciada pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) pelos crimes de concussão e peculato por envolvimento na prática de “rachadinhas”, que consiste no repasse de parte do salário de um assessor para o parlamentar. A informação é do Blog Contraponto.

Investigações apontaram que a vereadora pediu que assessores transferissem para ela parte de seus salários. Depoimentos apontam que o suposto esquema de “rachadinha” no gabinete de Fabiane Rosa não envolvia somente repasses. Ex-assessores disseram ao MPPR que também pagavam despesas pessoais da vereadora.

No dia 27 de julho, a vereadora foi presa preventivamente pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, suspeita de exigir dos funcionários comissionados do seu gabinete parlamentar a devolução de parte da remuneração deles. Na mesma semana, dia 30, a Mesa Diretora da CMC pediu que a Corregedoria instaurasse sindicância para “apurar os fatos, supostamente ilícitos, que envolvam a vereadora citada”.

Fabiane nega todas as acusações e se diz vítima de uma armação. Em discurso na Câmara, afirmou que os servidores que a acusaram “Destruíram meus sonhos. Não meus, mas os sonhos dos animais”, referindo-se à causa de proteção dos animais que a tornou conhecida e a levou a se eleger vereadora em 2016.