Por Marina Sequinel e Djalma Malaquias

(Foto: Everson Bressan/SMCS)

Os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) procuraram a Banda B nesta terça-feira (1) para denunciar as condições precárias e falta de manutenção das ambulâncias. Segundo eles, para garantir o atendimento à população, os trabalhadores precisam usar os veículos mesmo com problemas mecânicos.

“Essa situação está afetando o nosso sistema de trabalho. Muitas vezes nós saímos com as ambulâncias do jeito que elas estão, porque simplesmente não temos como dizer não. A população não pode deixar de ser atendida”, disse o socorrista Marcos Silva em entrevista à reportagem.

Segundo ele, a frota de veículos de apoio básico ainda não foi renovada. “As ambulância são antigas e só as de suporte avançado foram trocadas ao longo dos anos”, completou.

Sobre as reclamações, a Banda B entrou em contato com a prefeitura de Curitiba, que enviou a seguinte nota:

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que quando a nova gestão assumiu, em janeiro, encontrou uma frota bastante antiga, sucateada e com quilometragem alta. Havia veículos circulando desde 2007 e com mais de 250 mil quilômetros rodados.

A atual gestão atualizou a frota, com 6 novas ambulâncias. Os novos veículos possuem equipamentos e instalações especiais para utilização como UTI móvel e substituem aqueles mais antigos, fazendo uma renovação de dois terços da frota com UTI.

Dos 6 novos veículos, 1 foi repassado pelo governo estadual e 5 foram repassados pelo governo federal.

Com a atualização dos veículos com UTI, algumas ambulâncias antigas com UTI e com quilometragem ainda baixa passaram a rodar como ambulância de suporte básico, retirando-se assim da frota as ambulância de suporte básico muito antigas e com quilometragem mais alta. A SMS ainda informa que trabalha na gestão da empresa contratada para que as manutenções dos veículos sejam feitas de forma adequada.

Samu – telefone 192

As ambulâncias do Samu se deslocam para atender emergências clínicas como dores no peito que surgem repentinamente, que podem ser sintomas de problemas no coração; intoxicação com produtos de limpeza e envenenamento; perda de consciência, desmaio e hemorragias e crises de convulsão.