Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba (Sindimoc) alertou para uma possível nova greve após ter a confirmação de que apenas uma empresa do transporte público vai cumprir com o pagamento do salário dos trabalhadores. A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (5) à Banda B pelo presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira. “É intolerável o trabalhador ficar sem salário. Se as empresas disseram hoje à tarde que não vão cumprir com o pagamento e o salário não cair, vamos fazer uma nova paralisação, com certeza”, afirma.

teixeiraPresidente alerta que ônibus podem parar de novo. Foto: Bh/Banda B

Ao todo, 23 empresas particulares prestam serviço para o município no transporte público e apenas uma delas teria sinalizado que cumpriria o pagamento do salário dos trabalhadores normalmente nesta sexta-feira (6), quinto dia útil. “Até como forma de avisar aos trabalhadores, pedimos que as empresas dessem um parecer sobre o pagamento, mas apenas uma delas se manifestou e ainda não deu certeza porque depende do repasse da Urbs. Isso traz uma insegurança incrível para a categoria. Até quando o transporte coletivo vai viver dessa maneira?”, critica Teixeira.

A categoria alerta que amanhã, caso não seja efetuado o pagamento do salário, entra em estado de greve, novamente. A lei determina que toda greve deve ser informada até 72 horas antes do início, ou seja, nesse caso, motoristas e cobradores paralisariam as atividades a partir da meia-noite de terça-feira (10). A última greve começou dia 26 de janeiro e durou quatro dias.

Hoje, uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) entre o Sindimoc e a classe patronal será realizada para que os trabalhadores saibam quais cenários devem esperar para o pagamento deste mês. “Ainda não houve nenhum avanço significativo, mas esperamos que essa reunião traga calma para os motoristas e cobradores, que ainda não sabem se vão receber corretamente nesta sexta-feira ou com atraso. Também veremos se há uma proposta para a categoria por parte dos patrões”, completou o presidente. Além disso, a reunião pretende definir sobre o dissídio, já que a data-base da categoria é dia 1º de fevereiro.

Resposta

A Banda B procurou o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) que informou que está em assembleia com suas filiadas e vai apresentar seus posicionamentos na reunião desta tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Notícias relacionadas

Sindicato diz que não sabe de frota mínima e garante que nenhum ônibus circula hoje; TRT aumenta multa

Em véspera de greve, Sindicado diz que motoristas e cobradores estão sem assistência médica

Presidente da URBS garante ‘o mínimo’ para atender aos trabalhadores durante greve de ônibus‏

Sem ônibus, Prefeitura libera 200 carros para transportar de graça e Urbs cadastra particulares

Após anúncio de greve geral, Prefeitura de Curitiba e Governo do Estado divulgam notas nas redes sociais

Prefeitura anuncia separação financeira da Rede Integrada de Transporte Coletivo