Da AEN-PR

Neste mês de maio o Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergência (Siate) do Paraná completa 25 anos de história. Concebido no Estado com base em uma experiência norte-americana, o serviço inaugurou em 1990 um novo modelo de atendimento pré-hospitalar no Brasil, dedicado ao resgate e assistência às vítimas de trauma, como acidentes de trânsito e violência interpessoal. Somente em Curitiba e Região Metropolitana foram atendidas mais de 300 mil ocorrências.

Antes disso, não havia nenhuma estrutura pública especializada neste tipo de assistência. Quem precisava ser resgatado e encaminhado para a rede hospitalar após uma queda com múltiplas fraturas, por exemplo, tinha que ser transportado por conta própria e sem qualquer medida de primeiros socorros.

siate(Foto: Divulgação AEN-PR)

De acordo com o diretor da Rede Paraná Urgência e um dos primeiros médicos do Siate, Vinícius Filipak, o serviço preencheu uma lacuna no atendimento pré-hospitalar e melhorou as condições de socorro às vítimas. “Em casos de urgência e emergência, cada minuto é decisivo para se salvar uma vida. Além de aumentar as chances de sobrevivência do paciente, o socorro imediato e eficiente reduz o risco de sequelas e ainda diminui o tempo de recuperação da vítima”, informou.

Em Curitiba, o tempo médio entre o acionamento do serviço pela Central 193 até a chegada da equipe do Siate ao local da ocorrência varia de 5 a 10 minutos. “Esta é uma das marcas do Siate. O atendimento ágil é fruto do trabalho sério desenvolvido pelos profissionais do Corpo de Bombeiros, Secretarias de Saúde e Segurança envolvidos no projeto”, explicou o coordenador médico do Siate, Edison Teixeira.

RECONHECIMENTO – Para o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, os 25 anos de história salvando vidas transformaram o Siate em um patrimônio do povo paranaense. “Trata-se de um serviço que conquistou o respeito e a confiança da população. Com certeza, cada um de nós já foi atendido ou conhece alguém que teve a vida salva por essa equipe que se mantém dia e noite de prontidão e a serviço dos paranaenses”, enfatizou.

De 1990 pra cá, mais de 300 mil ocorrências de diversas naturezas já foram atendidas pelo Siate em Curitiba e na Região Metropolitana. Isso representa uma média de 60 atendimentos por dia, número que praticamente dobra durante os fins de semana. Quase 70% dos atendimentos dizem respeito a acidentes de trânsito.

Disponível inicialmente apenas na Capital, o serviço foi expandido para outras cidades do Estado, com uma frota de 113 ambulâncias. O trabalho é feito integrado com o Corpo de Bombeiros e as equipes atuam com abrangência regional.

HISTÓRIA – O processo de criação do Siate teve início em 1989, quando o Governo do Estado criou uma comissão responsável pela implantação de um projeto-piloto em Curitiba, com a parceria da prefeitura. Ao longo de um ano e meio, a equipe elaborou todos os protocolos e fluxos de atendimento com o apoio de uma equipe de consultores de Cleveland, no estado de Ohio, nos Estados Unidos.

Um dos desafios deste período de preparação foi a escolha da ambulância ideal para este tipo de atendimento. “No Brasil, não havia nenhum fabricante que fornecesse um veículo que atendesse as nossas necessidades. Por isso, tivemos que começar do zero e criar uma ambulância padrão, com o apoio do antigo Cefe-PR, hoje UTFPR”, lembra o médico Ricardo Rydygier de Ruediger, um dos precursores do Siate.

No início, foi necessário importar tecnologia de fora para auxiliar os técnicos na concepção de uma ambulância funcional e adaptada às demandas de um atendimento pré-hospitalar. Entre os itens, estavam colares cervicais, talas e cintos para imobilização que não existiam no país.

Após um ano de testes, a frota do Siate ganhou seu primeiro veículo, a chamada Auto-Ambulância nº 3. O modelo era uma versão modificada da ambulância F-1000, com mangueiras de oxigênio, novo dimensionamento elétrico e parte do mobiliário das ambulâncias convencionais fabricadas em outros lugares do mundo. No mesmo período, a comissão do Siate realizou diversos treinamentos com as equipes de socorristas e organizou todo o fluxo de atendimento que seria utilizado.

SALVAMENTO – Segundo Ricardo Ruediger, um dos casos mais emblemáticos do período de implantação do Siate aconteceu em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em 1992. Um caminhão tombou em cima de um carro com três ocupantes da mesma família. A carroceria do automóvel ficou totalmente contorcida e os passageiros sequer respondiam aos chamados da equipe.

Foi preciso cortar a lataria do baú traseiro do caminhão e retirar o teto do veículo para ter acesso ao local em que a família estava presa. Para surpresa dos profissionais do Siate, o casal passava bem e a criança que estava no banco traseiro também não tinha nenhum ferimento por ter ficado protegida pela cadeirinha do bebê.

“Tempos depois, a família resgatada foi ao nosso quartel e agradeceu pelo socorro prestado. Foi emocionante”, relata Ruediger. Como lembrança, os pais deixaram os sapatinhos da criança com os socorristas. Posteriormente, eles foram pendurados no painel da ambulância de resgate e se tornou símbolo do Siate no Paraná.

MODELO – A criação do protótipo de ambulância e de todos os novos protocolos foi um marco para o setor de urgência e emergência brasileiro. “Implementamos um modelo que preza pela agilidade e qualidade no atendimento e isso tudo serviu de base para a implantação de outros serviços semelhantes nos demais estados do país”, afirmou Vinicius Filipak. “Hoje podemos dizer que a experiência do Siate foi importante inclusive para a criação do Samu, presente em todo o Brasil”, completou.

HOMENAGEM – Nesta segunda-feira (18) foi dada a largada para a programação de aniversário dos 25 anos do Siate. A Câmara Municipal de Curitiba prestou uma homenagem simbólica aos profissionais que ajudaram a construir o serviço no Estado.

Na próxima semana, uma série de atividades está programada para marcar as comemorações em Curitiba. Entre as ações está um curso de atendimento a múltiplas vítimas, simulações de atendimento e exposição do trabalho do Siate ao público.

Semana comemorativa – 25 anos Siate (25 a 30 de maio)

Dias 25 e 26 de maio

Noções de primeiros socorros para público em geral

Horário: 9h às 17h

Local: Salão de eventos – Museu Oscar Niemeyer

R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba – PR

Dia 27 de maio

Solenidade comemorativa e homenagem a personagens da história do Siate

Horário: 9h

Local: Quartel Central do Corpo de Bombeiros

Endereço: Rua Nunes Machado, 100 – Centro – Curitiba – PR

Dia 28 de maio

Curso de Atendimento a Acidentes com Múltiplas Vítimas para profissionais do Siate, Samu, Polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária, Exército e Hospitais

Horário: 9h às 17h

Local: Salão Barigui – Parque Barigui

Dia 29 de maio

Curso de Atendimento a Acidentes com Múltiplas Vítimas para profissionais do Siate, Samu, Polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária, Exército e Hospitais

Horário: 9h às 17h

Local: Auditório Poty Lazarotto – Museu Oscar Niemeyer

R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba – PR

Dia 30 de maio

Simulação de atendimento a acidentes com múltiplas vítimas

Horário: 9h às 12h

Local: Parcão – Museu Oscar Niemeyer e Auditório Poty Lazarotto

R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba – PR