(Foto: Divulgação)

 

O Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, alerta para o aparecimento de um Primata Não Humano – PNH morto no município, achado na tarde desta quarta-feira (20), na localidade de Botiatuva, zona rural. As amostras foram coletadas e encaminhadas para análise de febre amarela ou raiva.

Logo após o alerta feito pela prefeitura, muitos moradores se preocuparam com uma possível circulação da febre amarela na cidade. Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Sáude de Campo Largo, Leoni de Jesus, o caso ainda está sob investigação. “Pelo pouco tempo da morte, há a possibilidade de se investigar o que causou a morte deste primata, mas aparentemente não seria a febre amarela. O que temos que salientar é a importância da vacinação, mesmo que a circulação do vírus não se confirme”, disse.

Vacinação

Neste sábado, dia 23, serão realizadas nas Unidades de Saúde urbanas ações voltadas para a Saúde da Mulher. Junto a este evento, as salas de vacinas estarão abertas oferecendo a todos os munícipes a vacina contra a Febre Amarela. “A gente vem alertando a população em relação à importância de se vacinar. Amanhã todas as unidades estarão abertas para favorecer quem não pode buscar a proteção durante o dia”, disse a diretora/

Idade para Vacinação

É recomendável a todas as pessoas entre 9 meses e 59 anos, 11 meses e 29 dias, a vacinação contra a Febre Amarela. Pessoas com idade superior a 60 anos, gestantes, lactantes de crianças abaixo de 9 meses, pessoas com comorbidades e/ou imunodeprimidos, precisam de requisição médica. Salienta-se que esta vacina é feita com vírus vivo atenuado, por isso a chance de haver reação adversa é maior, o que torna relevante esses cuidados.