Por Luiz Henrique de Oliveira

O presidente da URBS (Urbanização de Curitiba), Roberto Gregórico, disse pouco antes da reunião no Ministério Público do Traballho (MPT-PR), que pode por fim a greve parcial de ônibus desta terça-feira (1°), que o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc) não cumpriu o acordo de frota mínima de 50%, mediante a promessa do pagamento do 13° salário pelas empresas. Segundo Gregório, isso causou prejuízo à população.

“A reunião de ontem visava garantir o pagamento da primeira parcela dos trabalhadores. A Prefeitura fez sua parte, zerou o pagamento dos serviços prestados, e as empresas também se mobilizaram pagando o que faltava. Havia um compromisso do presidente do Sindimoc que 50% da frota seria mantida, mas isso não aconteceu, causando prejuízo à sociedade”, disse Gregório.

Nesta manhã, Curitiba e as cidades da região metropolitana amanheceram com greve parcial de ônibus. Algumas linhas estão 100% paradas, em outras a greve é parcial, mas há várias linhas circulando normalmente. A situação é mais crítica na Região Sul, principalmente nas linhas do Boqueirão.

De acordo com o diretor de transportes da Urbs, Daniel Andreata, 40% dos ônibus circulam nesta região hoje de manhã. Até às 7 horas não havia um ônibus sequer na canaleta entre o bairro e a Praça Carlos Gomes, no Centro. Mas, segundo o diretor, nas demais linhas, os ônibus circulam normalmente.

Nesta manhã, a reunião entre URBS, empresas e Sindimoc será retomada. Por enquanto, não há previsão de quando a frota será retomada em 100%.

Notícia Relacionada:

Curitiba e Região amanhecem com greve parcial do transporte; Região Sul circula com 40% dos ônibus