Pais e servidores municipais realizaram, na manhã desta quinta-feira (22), uma manifestação em frente a Secretária Municipal de Educação, no bairro Alto da Glória, em Curitiba. Eles reclamam do fim do período integral em cinco Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e criticam que agora, as crianças da pré-escola não ficarão mais neles com dois professores, mas um professor e um estagiário.

Os CMEIs Lala Schneider (Bairro Novo), Saturno (Santa Felicidade), Cinderela (Pilarzinho), Vila Macedo (Cajuru) e Vila Verde (CIC) não abrirão novas vagas aos alunos de 4 anos em tempo integral. Com isso, os pais terão que optar pelo período da manhã ou da tarde.

Priscilla Vasconcelos, representante dos servidores da Educação, afirmou à Banda B que todos foram pegos de surpresa pela medida tomada pela prefeitura. “Alega-se que as famílias foram ouvidas, entretanto houve um georreferenciamento induzido. Além disso, para não contratar novos educadores, a gestão buscou contratar um estagiário via PSS para trabalhar como auxiliar de apenas uma professora, quando antes eram duas”, disse.

Alessandra Abage, que é professora na Vila Macedo, diz que a decisão da prefeitura é uma perda enorme para a Educação. “As crianças perderão muito sem o integral e não é isso que os pais querem. Onde as crianças ficarão no outro período? Esta consulta não foi feita, porque os pais estão do nosso lado”, garantiu.

No CMEI Nice Braga, que já funciona no meio período, os pais reclamam especificamente da troca de professores. “A prefeitura fará um remanejamento e vai trocar dois professores por um professor e um estagiário. Os pais não aceitam isso, porque será uma perda muito grande às crianças”, afirmou Jessé Marques, pai de uma criança que estuda no Nice Braga.

Outro lado

Segundo a superintendente de Gestão Educacional, Elisângela Iargas Iuzviak Mantagute, a mudança não trará prejuízo a população, que terá outras opções de CMEIs que atendem em período integral. “Nestas cinco unidades, as já matriculadas no período integral, permanecerão no integral, já as outras terão o meio período. Não são todos os CMEIs, mas apenas cinco, que serão pólos de referência em meio período”, iniciou.

De acordo com Elisângela, sobraram vagas no integral e por isso a decisão foi tomada. “As vagas foram excedentes e não haverá problemas com vagas”, completou.

Sobre a retirada dos dois professores, trocando por um estagiário e um professora, a superintende disse que isso já acontece em outras unidades. “Hoje temos 129 escolas que já funcionam assim. Um professor concursado e um estagiário que o apoia. O que a gente já faz é sem qualidade? Isso não é verdade”, concluiu.