Da Polícia Civil

Trinta e cinco pessoas que usam tornozeleira eletrônica são alvos de uma operação deflagrada desde as 6h desta segunda-feira (18) por policiais civis e militares. Serão cumpridos mandados de prisão em Curitiba e em outras seis cidades do interior do Paraná.

torno(Foto: Arquivo)

A “operação GPS” é coordenada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), com apoio das Polícias Civil e Militar e do Departamento de Execução Penal (Depen), que faz o monitoramento das tornozeleiras eletrônicas.

Os mandados de prisão foram expedidos depois que os agentes penitenciários que trabalham no Centro, cuja sede é na Secretaria da Segurança Pública, relataram ao Poder Judiciário as infrações cometidas pelas pessoas monitoradas pelas tornozeleiras. A principal infração é o desligamento do equipamento eletrônico – o que é proibido.

Todas as vezes em que há rompimento do lacre da tornozeleira ou desligamento (seja provocado ou por falta de bateria) um sinal é acionado no Centro Integrado. Os agentes entram em contato com o monitorado para que o equipamento seja corretamente usado.

A polícia suspeita que alguns dos monitorados desligam ou deixam de recarregar as tornozeleiras de forma proposital para cometer delitos. A maioria dos alvos da operação foi presa pela prática de roubo e recebeu da Justiça o benefício da tornozeleira eletrônica. Com as violações cometidas, os detentos perdem o benefício e têm regressão no regime prisional.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Operação ‘GPS’ quer prender 35 monitorados que descumprem regra da tornozeleira eletrônica

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.