do MPT

haitianos2Grupo demitido em frente à sede do MPT – Foto: MPT

O Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR), firmou nesta terça-feira (16), um acordo com a construtora PDG sobre os 30 trabalhadores que se manifestaram no dia anterior sobre o não pagamento de verbas rescisórias, após demissões realizadas por uma empresa terceirizada que lhe prestava serviços. O acordo delimita para 29 de dezembro a data para a quitação das rescisões e do pagamento dos salários atrasados, que totalizam pelo menos R$ 90 mil.

A Águia Revestimento e Pinturas, terceirizada que prestava serviços em duas obras da construtora PDG, encerrou as atividades sem pagar as verbas rescisórias dos funcionários.

Dentre os 30 trabalhadores que se manifestaram, 18 eram haitianos; quatro tiveram sua rescisão regularizada recentemente, 24 ainda estão aguardando e dois trabalhavam sem registro. Além disso, a empresa não recolhia FGTS. O acordo estabelece, além da quitação dos valores, a assinatura retroativa da carteira de trabalho dos que não estavam registrados.