O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou ação civil pública em que pede uma série de medidas para controle da pandemia do novo coronavírus no estado. No pedido, assinado em conjunto pelas promotorias de saúde de Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel, o MP-PR lista ações que considera necessárias devido à possibilidade de colapso no sistema estadual de saúde.

Foto: Arnaldo Alves / Arquivo AENotícias

Nos pedidos que seriam válidos para o Paraná inteiro estariam a suspensão de atividades em shopping centers, galerias e centros comerciais; a suspensão de atividades em academias, centros de ginásticas e esportes em geral; além da suspensão de atividades religiosas de qualquer natureza.

Segundo o MP-PR, o objetivo é preservar a “a vida dos habitantes” do Paraná, bem como a “preservação do sistema de saúde”.

A ação civil pública pede ainda a proibição de qualquer evento que possa implicar na aglomeração de pessoas.

Curitiba

Em Curitiba e região metropolitana, bem como na região de Cascavel, o MP-PR pede ainda que um ‘lockdown’ de 15 dias seja realizado. “A restrição/bloqueio pleno de atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde (lockdown) senão em todas as regiões do Estado do Paraná, ao menos em suas macrorregiões Leste e Oeste, à vista da gravíssima situação epidemiológica que enfrentam, pelo prazo de 15 (quinze) dias – período esse correspondente ao tempo de incubação do novo Coronavírus -, prorrogáveis enquanto houver a necessidade sanitária”, diz a ação.

A Prefeitura de Curitiba prevê a possibilidade de lockdown, desde que atinjamos a bandeira vermelha do protocolo de responsabilidade sanitária e social da cidade.