O Tribunal do Júri de Curitiba condenou, nesta segunda-feira (10), a 28 anos de prisão em regime fechado o homem acusado pelo assassinato do advogado criminalista, Leonardo Ivankio Sudul, no bairro Parolin, em Curitiba.  O réu foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado, associação criminosa e ocultação/destruição de cadáver.

(Foto: Reprodução)

Na denúncia, o Ministério Público do Paraná sustentou que o crime ocorreu por motivo torpe (em razão de desentendimento relacionada à atividade profissional) e utilizou meio que dificultou a defesa da vítima, atraída para uma emboscada.

O réu, em conjunto com outras três pessoas também denunciadas pelo crime, combinou encontro com a vítima para supostamente tratar de um processo ao qual eles respondiam, quando o crime aconteceu.

O crime

O advogado criminal foi morto a tiros no final da tarde do dia 6 de novembro de 2017, no bairro Parolin, em Curitiba. Após o crime, os autores ainda atearam fogo no carro da vítima, que foi encontrada carbonizada debaixo de uma ponte no bairro Uberaba.

A motivação do crime teria sido um descontentamento na relação entre cliente e advogado, já que Sudul era o defensor do réu na acusação de tráfico de drogas.