Uma ex-gerente de um posto de gasolina em Anápolis (GO) entrou na Justiça após ser demitida e acabou precisando assinar um acordo para pagar R$ 100.252,00 à empresa.

Pagamento será feito em 142 parcelas. A última delas está prevista para 15 de fevereiro de 2036. Cada uma terá o valor de meio salário mínimo - Imagem ilustrativa: Pixabay
Pagamento será feito em 142 parcelas. A última delas está prevista para 15 de fevereiro de 2036. Cada uma terá o valor de meio salário mínimo – Imagem ilustrativa: Pixabay

O QUE ACONTECEU

Pagamento foi determinado após acordo entre advogados da mulher e do posto. A ex-funcionária também vai prestar 150 horas de serviço comunitário, segundo acordo judicial à qual a reportagem teve acesso.

Mulher acionou a Justiça alegando acúmulo de função, assédio e danos morais. Ela afirmou que passou a ser “perseguida” após a empresa detectar desvios de R$ 217,314,08.

Fraudes teriam ocorrido entre 2020 e 2022. Elas eram cometidas com a inclusão de vendas fictícias de cartão de crédito no sistema da empresa e saque de dinheiro em espécie do mesmo valor no caixa do posto. A defesa do posto alegou que o crime motivou a demissão.

Ex-funcionária chegou a se oferecer para pagar dinheiro desviado, disse dono do posto à polícia. Ele contou que desconfiou da incompatibilidade nos valores e pediu que funcionários observassem os lançamentos no caixa. Desconfiada da investigação interna, a gerente teria se oferecido para devolver valor sem envolver a polícia.

Pagamento será feito em 142 parcelas. A última delas está prevista para 15 de fevereiro de 2036. Cada uma terá o valor de meio salário mínimo na data vigente. nesta quarta-feira (10), o valor soma mais de R$ 100 mil.

A reportagem entrou em contato com a ex-funcionária para dar direito à defesa dela. Não houve retorno sobre o assunto até o momento. O espaço será atualizado tão logo haja posicionamento.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Funcionária processa empresa por demissão, mas acaba pagando R$ 100 mil

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.