Foto: Hedeson Alves/AEN

 

O Colégio Estadual do Paraná (CEP), no Centro de Curitiba, ficará fechado para reformas e voltará a receber todos os alunos apenas em 2020. A restauração impactou na logística de 5 mil estudantes, que já foram remanejados para outras escolas enquanto durar a obra no local. Uma parte dos alunos continuará na escola. A previsão é que o CEP esteja pronto no primeiro semestre de 2020.

De acordo com o Governo do Estado, dos 3.862 alunos do Estadual, cerca de 2.250 permanecerão na escola durante a reforma, distribuídos em 22 turmas. Os demais alunos serão distribuídos entre os colégios Amâncio Moro, Tiradentes, Conselheiro Zacarias e Instituto Estadual de Educação do Paraná Professor Erasmo Pilotto, que possuem salas ociosas e receberão os estudantes.

O colégio Amâncio Moro vai receber os alunos do Estadual e passa a funcionar em regime de dualidade com o Colégio Estadual do paraná, mantendo a estrutura existente – de professores, alunos e funcionários.

O Núcleo Regional de Educação e a Secretaria de Estado da Educação estão organizando trâmites junto à Urbs e Batalhão de Polícia Militar Escolar Comunitária e Conseg do Jardim Social para estruturar linhas de ônibus, bem como a segurança do bairro em que se encontra o Col. Est. Amâncio Moro.

A reforma será executada pela empresa Construtora & Incorporadora Squadro Ltda, que venceu o processo licitatório no valor de R$ 16,97 milhões.

 

A reforma e restauro do Estadual é a maior já feita desde a construção do prédio. Será feita reforma das salas de aula, telhado, instalação elétrica e hidráulica, modernização dos elevadores, instalação de sistema de segurança, além de pintura e paisagismo, devolvendo as características originais do prédio, construído em 1950.