Por Felipe Ribeiro e Daniela Sevieri

Foto: Daniela Sevieri – Banda B

Familiares e amigos do adolescente Pedro Felipe Lopes da Luz, que foi morto aos 16 anos por golpes de canivete dentro de um biarticulado, realizaram uma manifestação para pedir justiça na manhã deste sábado (22). Na semana passada, o jovem Allan Romero Feijó, de 18 anos, apresentou-se na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que não teve a intenção de matar e que não queria permitir a entrada dos amigos da vítima no ônibus porque tinha que “defender a Constituição”. A manifestação saiu da estação-tubo em que o adolescente foi morto e seguiu até a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde ainda foi realizada uma oração.

De acordo com a mãe de Pedro, Andreia Lopes, as últimas semanas têm sido muito difíceis e o pedido da manifestação é o de que Allan seja preso. “Um assassino cruel que faz o que ele fez não pode ficar solto. Na delegacia, ele alegou legítima defesa, mas não tem um arranhão, meu filho não fez nada. Depois de fazer isso, o Allan ainda foi para o shopping tomar refrigerante. Queremos que ele vá para a cadeia”, lamentou.

Pedro Felipe foi morto no último dia 7 de julho, logo depois de sair com outros amigos do Colégio Estadual Elias Abrahão. O adolescente não teria furado a catraca, mas defendeu os amigos de Allan, momento em que foi atingido.

Allan se apresentou na DHPP uma semana após o crime. Alegando manter a sua integridade física, ele disse que se defendeu das agressões que sofreu por parte de Pedro na Av. Presidente Affonso Camargo. “Eu fui abordado e agredido pelo adolescente e, neste momento, eu apenas tentei me defender e garantir a minha integridade física. Eu ando com canivete porque a nossa região é perigosa e tenho medo daquele lugar”, disse o jovem, negando que tenha tido a intenção de matar.

Confira vídeo da manifestação:

Notícia Relacionada: