Covas e Russomanno – Reprodução

O Estadão, em editorial nesta sexta-feira 30, criticou o candidato a prefeito Celso Russomanno (Republicanos), que insinuou que Bruno Covas (PSDB) pode morrer durante o mandato, caso seja reeleito.

“Quando Celso Russomanno, candidato à Prefeitura de São Paulo, sugere que seu principal adversário na disputa, o prefeito Bruno Covas, pode não terminar o mandato caso seja reeleito, revela por inteiro a ausência de limites morais que tão mal tem feito à democracia no País”, diz o texto.

“Como se sabe, o prefeito Bruno Covas sofreu de câncer. Segundo seus médicos, o tratamento a que o prefeito vem sendo submetido controlou a doença e lhe deu condições não apenas de continuar à frente do cargo, como também de concorrer à reeleição. É absolutamente repugnante que um candidato explore a doença grave de um adversário para tentar lhe tomar votos”, completa.