A cotação do dólar bateu o terceiro recorde seguido nesta quarta-feira (27), a R$ 4,258, alta de 0,4%, segundo cotação da CMA. Desde segunda (25), a moeda renova sua máxima nominal, sem levar em conta a inflação, diariamente. O dólar turismo está a R$ 4,43 na venda, segundo cotação da Refinitiv.

Entre os principais motivos para a alta da moeda americana estão a saída de dólares do país, a frustração com o leilão do pré-sal e a fala do ministro da Economia Paulo Guedes na segunda (25) de que “é bom de acostumar com câmbio mais alto por um bom tempo”.

Investidores viram conforto por parte do governo no dólar acima de R$ 4,20, o que abriu espaço para sua valorização, com o mercado apostando na alta, de modo a testar o patamar limítrofe para atuação do Banco Central (BC).

Desde o leilão do pré-sal, sem a esperada participação de estrangeiros e entrada de dólares no país, a  moeda americana acumula alta de mais de 6%.

Tanto na terça-feira (26), quanto nesta quarta, a autoridade interveio ao redor de R$ 4,27. Na véspera foram feitos dois leilões à vista, que fizeram a moeda baixar de R$ 4,277, para R$ 4,2410.

Nesta sessão, o BC vendeu 3 mil contratos de swap cambial reverso, somando US$ 150 milhões e venda de até US$ 785 milhões da moeda à vista. Adicionalmente, a autarquia vendeu 12.700 contratos de swap cambial tradicional em rolagem do vencimento janeiro 2020.

Stock market chart, Stock market data on LED display concept

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 4,2596 / R$ 4,2602 **
Câmbio livre mercado – R$ 4,2560 / R$ 4,2580 *
Turismo – R$ 4,2100 / R$ 4,4580

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,400%

OURO BM&F
R$207,80

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: 0,65%
Pontos: 107.707
Volume financeiro: R$ 15,544 bilhões
Maiores altas: Magazine Luiza ON (5,95%), Yduqs ON (4,69%), B2W Digital ON (4,64%)
Maiores baixas: MRV ON (-3,75%), Intermédica ON (-2,53%), Hypera ON (-2,09%)

S&P 500 (Nova York): 0,42%
Dow Jones (Nova York): 0,15%
Nasdaq (Nova York): 0,66%
CAC 40 (Paris): -0,05%
Dax 30 (Frankfurt): 0,38%
Financial 100 (Londres): 0,36%
Nikkei 225 (Tóquio): 0,28%
Hang Seng (Hong Kong): 0,15%
Shanghai Composite (Xangai): -0,13%
CSI 300 (Xangai e Shenzhen): -0,41%
Merval (Buenos Aires): 5,66%
IPC (México): 0,43%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Setembro 2018: 0,48%
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%
Maio 2019: 0,13%
Junho 2019: 0,01%
Julho 2019: 0,19%
Agosto 2019: 0,11%
Setembro 2019: -0,04%

INPC/IBGE
Setembro 2018: 0,30%
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%
Maio 2019: 0,15%
Junho 2019: 0,01%
Julho 2019: 0,10%
Agosto 2019: 0,12%
Setembro 2019: -0,05%

IPC/Fipe
Setembro 2018: 0,39%
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%
Maio 2019: -0,02%
Junho 2019: 0,15%
Julho 2019: 0,14%
Agosto 2019: 0,33%
Setembro 2019: 0,00%

IGP-M/FGV
Setembro 2018: 1,52%
Outubro 2018: 0,89%
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%
Junho 2019: 0,80%
Julho 2019: 0,40%
Agosto 2019: -0,67%
Setembro 2019: -0,01%

IGP-DI/FGV
Setembro 2018: 1,79%
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%
Maio 2019: 0,40%
Junho 2019: 0,63%
Julho 2019: -0,01%
Agosto 2019: -0,51%
Setembro 2019: 0,50%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00