A falta de chuvas no mês de julho, onde praticamente não se viu uma gota de água, juntando ao acumulado dos meses anteriores, vai fazer com que a Sanepar inicie um rodízio de abastecimento de água ainda mais rígido em Curitiba e região metropolitana. Em entrevista à Banda B, nesta segunda-feira (10), o gerente de Produção de Água da empresa, Fábio Basso, destacou que o panorama atual é bastante crítico.

 

“É mais um ano praticamente sem chuva, exceto no mês de junho, tem chovido muito pouco e isso está agravando ainda mais nossas barragens, que estão com níveis críticos”, disse o gerente, confirmando que o rodízio deverá ser ainda mais rígido. “Dado o agravamento da estiagem, nós possivelmente teremos que fazer um rodízio um pouco mais duro do que ele já é. Nesta semana faremos algumas discussões para que isso impacte o menos possível na população, mas teremos que rever sim o modelo de rodízios”, afirmou.

De acordo com o gerente, a solução do problema é realmente chover de forma consistente por um longo período, mas a população pode ajudar. “Todos têm um papel bastante importante pelo uso correto da água, priorizando higiene pessoal e alimentação, é o exercício da economia que todos podem ver. Não dá para demorar nos banhos, por exemplo. Isso já ajuda muito em toda a coletividade. Precisamos, ao longo dos meses, de chuva igual ou acima da média”, ponderou.

Estiagem na Barragem do Cayguava, em Piraquara (Foto: Divulgação)

 

Vai chover?

Com relação à chuva, a expectativa é que no fim de semana ela venha em quantidade considerável em Curitiba e região, mas não o suficiente para resolver os problemas da estiagem. “Os valores para sexta-feira indicam 30 mm de água, o que é significativo para o mês de agosto, mas não para resolver o problema da seca”, afirmou à Banda B o meteorologista Samuel Brown, do Simepar.

De acordo com Brown, a segunda quinzena de agosto deverá também ter mais chuva. “As simulações trazem que podemos ter uma quantidade maior em agosto, especialmente na segunda quinzena. Mas são simulações, então pode chover mais ou menos que estes valores. O melhor é aguardar”, concluiu.