Cientistas encontraram um pedaço desaparecido do planeta Terra há cerca de 155 milhões de anos, quando uma parte da Austrália Ocidental se desprendeu do continente e se afastou.

Os cientistas sabiam que o pedaço de terra de 5.000 km, chamado Argolândia, existia por causa de um enorme buraco que deixou no fundo do oceano, conhecido como Planície Abissal de Argo.

Uma teoria sugeria que esse pedaço da Terra poderia ter desaparecido completamente, sendo puxado de volta para o manto do planeta, a camada derretida sob a crosta, onde duas placas tectônicas se encontram. Isso aconteceu com parte de outro continente “perdido”, a Grande Adria, que era do tamanho da Groenlândia e se separou da Itália.

pesquisadores-descobriram-que-a
Foto: Reprodução/Utrecht University

No entanto, a Grande Adria deixou vestígios de sua presença nas camadas de rocha que mais tarde se transformaram nas montanhas do Sul da Europa, enquanto não havia evidências semelhantes da existência de Argolândia nas montanhas do Sudeste Asiático.

Recentemente, os pesquisadores encontraram fragmentos do continente escondidos sob as muitas ilhas da região, sugerindo que ele se fragmentou à medida que avançava, em vez de se deslocar em um grande pedaço. A descoberta foi publicada na quinta-feira (19), no jornal científico Gondwana Research.

“Se os continentes pudessem mergulhar no manto e desaparecer completamente, sem deixar vestígios geológicos na superfície da Terra, então não teríamos muita ideia de como a Terra poderia ter sido no passado geológico. Seria quase impossível criar reconstruções confiáveis dos antigos supercontinentes e da geografia da Terra em épocas passadas.”

Dowe Van Hinsbergen, professor da Universidade de Utrecht e coautor do estudo.

Simulações por computador

Escavando as camadas de rocha das ilhas do Sudeste Asiático, incluindo Sumatra, Bornéu, Sulawesi e Timor, o professor van Hinsbergen e o autor principal, Eldert Advokaat, combinaram as suas descobertas com simulações por computador de movimentos tectônicos e continentais.

Os resultados sugerem que há cerca de 250 milhões de anos, a Argolândia começou a fraturar-se e a fragmentar-se, e os seus pedaços estão agora escondidos nas profundezas do oceano, logo abaixo das milhares de ilhas da região.

‘Estávamos literalmente lidando com ilhas de informação, e é por isso que nossa pesquisa demorou tanto. Passamos sete anos montando o quebra-cabeça”, disse Advokaat ao jornal inglês Metro.

O quebra-cabeça que Advokaat e Van Hinsbergen resolveram se encaixa perfeitamente entre os sistemas geológicos vizinhos do Himalaia e das Filipinas e acrescenta outro capítulo à longa história do quebra-cabeça de continentes da Terra.

Há cerca de 230 milhões de anos, quando os dinossauros começaram a vagar pela terra, os continentes eram organizados em um único supercontinente chamado Pangeia. Ele se desfez lentamente, “embaralhando a terra” como peças de um tabuleiro de xadrez até formar o mundo como vemos hoje, explicam os cientistas.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Cientistas encontram pedaço da Terra desaparecido há 155 milhões de anos

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.