Uma reunião entre prefeitos da região metropolitana de Curitiba e a iniciativa privada, no Restaurante Dom Antônio, no bairro Santa Felicidade, na manhã desta quinta-feira (24), selou um acordo para a criação de uma equipe que terá como objetivo discutir projetos em conjunto nas áreas de tecnologia e mobilidade. A inciativa do encontro foi da Assomec, presidida pelo prefeito de Fazenda Rio Grande, Marcio Wozniack, que destacou a expectativa de que o órgão se torne em breve uma federação.

 

“Tivemos hoje aqui muitas lideranças municipais e a iniciativa privada, pensando no futuro, o que nos encheu de otimismo. A região metropolitana de Curitiba está se preparando para entrar no polo da tecnologia, ouvindo a iniciativa privada, em prol do desenvolvimento econômico. Foi criado um desafio de se formar um time para colocar pessoas dos municípios dentro da Assomec, para comandar projetos de tecnologia e mobilidade. Temos 30 dias até uma assembleia para aprovar este modelo de gestão e a Assomec se tornar uma federação”, disse Woniack em entrevista à Banda B.

De acordo com Hélio Bampi, presidente do Pró-Metropole, que engloba cidades da RMC e a capital, é preciso entender a importância da tecnologia no desenvolvimento dos municípios. “Vive-se um dilema hoje: temos 13% de desempregados, mas 30 mil vagas no mercado de trabalho na área de informática. Ou seja, faltam pessoas com estas especialidades. Neste sentido, precisa-se de um programa de capacitação e se pensar em conjunto na região metropolitana. Temos pessoas ociosas e precisa-se dar a oportunidade de um futuro digno a elas”, destacou.

Ainda sobre o tema da demanda tecnológica, o diretor de Operações do Sebrae, Julio Cezar Agostini, ressaltou que existe a necessidade urgente de qualificação profissional. “Pequenas empresas e maiores precisam de funcionários, mas não conseguem no mercado. Precisa-se pensar nisso. A qualificação se faz fundamental”, afirmou.

Presente no evento, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, também salientou a importância de se ter a tecnologia como foco para o crescimento da RMC. “Nada vai impedir que alguém em uma chácara em Balsa Nova ou Piraquara coloque seus produtos no mercado mundial. Vamos treinar as cidades metropolitanas para isso”, brindou.

Outra demanda

Outra demanda tratada durante o encontro veio da prefeita de Colombo, Beti Pavim, que destacou a necessidade da criação de um consórcio metropolitano de Assistência Social, assim como acontece na área de Saúde. “Estamos fazendo um estudo para que isso seja um braço do Consórcio de Saúde, para que se dê celeridade na contratação de espaços e casas de apoio. A compra em conjunto barateia isso em cerca de 50%”, concluiu.

Próximo passo

O próximo passo agora é realizar uma assembleia em 30 dias para mudar a Assomec para uma Federação e, assim, colocar os projetos discutidos hoje em andamento.