Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros

Foto: Flávia Barros – Banda B

Após os vereadores de Curitiba aprovarem o chamado “pacotaço”, um grupo de servidores decidiu ocupar o Salão Nobre da Prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico. De acordo com os manifestantes, eles só deixam o local após reunião com Rafael Greca (PMN). Por questões de segurança, segundo a administração municipal, o expediente foi encerrado às 14h20 desta segunda-feira (26). Também nesta tarde, manifestantes reunidos no Parque São Lourenço aprovaram a continuidade da greve geral de servidores.

Já no Salão Nobre, a servidora Soraya Zgoda disse que a categoria quer ser ouvida e ninguém da prefeitura os recebeu. “Com os projetos aprovados, viemos para essa conversa, que não aconteceu até o momento. A greve está mantida para amanhã e nós só saímos com mandado de reintegração de posse ou encontro com o prefeito”, afirmou.

De acordo com o inspetor Odgar Nunes, da Guarda Municipal, a Procuradoria Geral do Município já foi acionada para entrar com um pedido judicial e reintegração de posse. “São cerca de 40 pessoas, entre estudantes e servidores, e estamos aguardando autorização judicial para a retirada. De qualquer forma está tudo calmo por ali”, disse.

Um dos principais gritos dos manifestantes no local é “revoga o pacotaço”. Pela manhã, em votação tensa na Ópera de Arame, os vereadores de Curitiba aprovaram os quatro projetos do chamado Plano de Recuperação da Prefeitura que tramitam em regime de urgência. Por 25 votos favoráveis, 9 contrários e 1 abstenção, a primeira proposta aprovada foi a que altera a previdência municipal. A segunda, aprovada com 26 votos a 10 altera a data-base do funcionalismo para 31 de outubro. O projeto que pede aos vereadores autorização para o leilão de dívidas do Município recebeu 27 votos favoráveis e 4 contrários. Já a matéria que propõe a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Município teve 27 votos “sim” e 10 “não”.

Acompanhando os servidores na Prefeitura, a vereadora Professora Josete disse que o dia é muito triste para Curitiba. “É um momento muito difícil e duro. O autoristarismo do prefeito tem levado a toda essa situação e hoje mais uma vez servidores saíram feridos. Eu nunca tinha visto um aparato policial como aquele e é lamentável, já que um cheque em branco foi dado ao prefeito”, comentou.

Foto: Colaboração

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Após aprovação do “pacotaço”, servidores ocupam sala da Prefeitura; greve continua

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.