Em pandemia é fato que houve uma ascensão dos pedidos que vem de lojas virtuais ou de delivery de comida em aplicativo. No entanto, se o consumidor não tiver cuidado, essas entregas podem acabar se tornando dores de cabeça. O alerta é feito pelo delegado Emannoel David, Chefe da Delegacia de Estelionato de Curitiba.

De acordo com ele, os dados pessoais que estampam caixas e notas fiscais podem servir de meio para criminosos aplicarem golpes. “Nós vivemos em um mundo que é muito virtual. As pessoas acabam se protegendo nas plataformas virtuais com a dupla verificação nos seus aplicativos. Mas por meio de cartas e encomendas, algo que aumentou muito ao longo da pandemia, nós também podemos ser alvos de estelionatários”, diz.

Foto: Divulgação / Correios

Segundo Emannoel, dados como nome, endereço e RG podem ser usados por estelionatários. Contudo, é possível se prevenir contra possíveis golpes.

“É muito simples, qualquer documento que tenha algum dado sensível como RG, QR Code, precisa ser picotado. Com o intuito de prevenir com que pessoas mal intencionadas tenham acesso aos dados”, diz

O delegado reforça que, mesmo que sejam feitos riscos, algumas caixas vêm com um código de barras. Por isso, é essencial cortar todo o material. A orientação também vale para cartões de banco, dados pessoais ou contas.

Se eu cair em um golpe, o que eu faço?

Se o consumidor tiver esquecido de picotar ou cortar dados de uma embalagem e teve as informações utilizadas por estelionatários, é importante que ele faça um boletim de ocorrências online na internet. Para isso, basta digitar “Delegacia Eletrônica PR” no Google e entrar na página da Polícia Civil.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Dados pessoais que estampam caixas e notas fiscais podem servir de meio para golpes de criminosos; saiba como se prevenir

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.