Quem não gosta de comprar produtos com ofertas generosas não é? A Black Friday é uma das datas mais esperadas do ano pelo consumo e é a grande esperança do varejo em recuperar a renda que ficou prejudicada durante a crise causada pela pandemia de Covid-19. Em um dia como esse, é muito importante que o consumidor tome alguns cuidados para que não fique no prejuízo. De acordo com a diretora do Procon-PR, Claudia Silvano, é possível fazer compras com segurança.

A Black Friday é vista como uma grande oportunidade para que os consumidores consigam comprar aqueles produtos que tanto almejam, principalmente pelo fato das ofertas começarem antes do Natal. Com mais de 20 ano de experiência em Direito do Consumidor, Claudia também é especialista e professora de Direito Civil Empresarial. Ela trabalha desde 1991 no Procon-PR e conhece a área como ninguém.

Em entrevista ao vivo pelo Instagram da Banda B, nesta segunda-feira (23), Claudia abordou por meio de linguagem simples e objetiva, quais são os detalhes que o consumidor precisa prestar atenção antes de fazer as suas compras. Com as informações necessárias sobre os seus direitos, cada um terá mais segurança para fazer suas compras.

Confira dicas da Claudia Silvano:

Foto: Facebook
  1. Pesquise antes de comprar: O aumento nas compras pela internet, não quer dizer que as pessoas devam deixar de fazer pesquisas de preços em lojas físicas. Nem sempre os preços praticados pela internet são os mais atrativos, os mais baixos. O ideal é que o consumidor acompanhe o preço de determinado produto durante um período. Os buscadores como Zoom e Buscapé dão a variação do preço de cada produto por período. Os grandes players do comércio eletrônico vão jogar promoções e a questão é saber se esse preço estava menor do que estava antes. Isso deve ser cuidado para que o consumidor não caia em uma falácia.
  2. Evitar uso do cartão de crédito e financiamentos: Uma frase que define muito bem é que dinheiro fácil também é dinheiro caro, quando o consumidor faz uso do limite para pagar o cartão de crédito é que as coisas ficam mais caras. Então o consumidor tem que tomar cuidado primeiro para não precisar usar limite de cartão, os juros são altos e sabidamente os juros mais altos do mercado. Financiar também é um problema especialmente em um momento como esse em que as pessoas perderam renda, emprego, muita gente esteve negativada, está conseguindo agora limpar seu nome e recuperar suas contas. Tem que tomar cuidado para não entrar de novo nessa roda viva.
  3. Links para sites falsos: Cuidados com links recebidos das redes sociais, emails, whatsapp, por que eles podem remeter a um site falso. Pagar com boletos em sites falsos também é complicado pois recuperar o dinheiro depois é impossível.
  4. Identificar se algo é falso: Se eu recebo uma oferta de Americanas.com e clico no link, é importante notar detalhes como se falsa uma letra no nome do site. Ao invés de clicar no link, o ideal é digitar o nome da empresa no seu navegador. Você entra de outra maneira naquele site. Vai olhar se há um cadeado, que é um símbolo de segurança no site. Sites falsos também não aceitam pagamento por cartão de crédito, é somente boleto. Todo cuidado é pouco, há fraudes que são sofisticadas então tem que ficar de olho porque a chance de o consumidor levar prejuízo é enorme.
  5. Denúncias: No site do Procon (PR) vai descer um banner e o consumidor terá vários canais de atendimento a sua disposição.