Arena da Baixada sem torcida durante jogo do Brasileirão. (Geraldo Bubniak/AGB)

A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa) reforçou o posicionamento de que é contrária a volta da torcida aos estádios na Série A do Campeonato Brasileiro. Em entrevista à Banda B, o secretário de Saúde, Beto Preto, disse que não acredita em retorno do público neste ano e a presença dos torcedores nas arquibancadas possivelmente aumentaria a demanda de testes da Covid-19.

“Do ponto de vista epidemiológico, eu quero me antecipar que se depender da Secretaria de Estado da Saúde neste momento, que tem prioridades importantes que são as aulas da crianças, não há possibilidade neste ano e não deslumbro a possibilidade de 30% de torcida nos estádios de futebol. Não há essa capacidade e isso geraria a necessidade de testes, eventualmente. Nós trabalhamos para suprir toda a necessidade de testes no Paraná”, declarou o secretário.

Beto Preto reconheceu a importância do futebol neste momento, mas destacou que a saúde da população vem em primeiro lugar. “O futebol é fundamental, um belo esporte, a preferência do brasileiro, mas antes disso, vem o quesito de saúde. Cada dia tem a sua agonia, montando a estratégia e não abandonamos a planilha. Na saúde, a nossa equipe trabalha todo dia e o planejamento é o forte neste momento”, afirmou.

Posicionamentos de Coritiba e Athletico

Através de nota oficial, o Coritiba defendeu a isonomia entre todos os clubes. “O Coritiba defende a igualdade na tomada de decisão e acredita que a medida definida deve valer para todos, respeitando a isonomia competitiva. O clube defendeu o retorno aos treinos de maneira segura e inclusive contratou um médico infectologista que contribuiu com o desenvolvimento de um protocolo de saúde, entendendo a responsabilidade das instituições sobre o atual cenário de pandemia e, ainda que esteja atento à situação e seus desdobramentos, reforça que a saúde e segurança devem ser consideradas como prioridade em relação ao retorno do público aos estádios”.

Já o Athletico, através do presidente do Conselho Administrativo, Mário Celso Petraglia, declarou que não tem nenhuma conclusão até que o assunto seja mais esclarecido. “Sem nenhuma conclusão ou decisão até que tudo fique claro e estabelecido de como será essa liberação”, falou.

Ministério da Saúde já autorizou

O Ministério da Saúde aprovou o plano da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a volta do público aos estádios, com limite de 30% da capacidade. A própria CBF vai se reunir com os clubes para debater o assunto, mas adiantou que a decisão deve passar pelas liberações de estados e munícipios.

O governo de São Paulo já anunciou que não vai permitir a presença do público nas partidas do Campeonato Brasileiro da Série A ou das Eliminatórias para a Copa do Mundo. Em contrapartida, a prefeitura do Rio de Janeiro autorizou a presença de 30% da capacidade do Maracanã. O plano é que o primeiro jogo seja Flamengo x Athletico, no dia 04 de outubro.

A última vez que os jogos no Brasil aconteceram com a presença de público foi em março, antes mesmo da paralisação do futebol pela pandemia da Covid-19. Os jogos retornaram no Paraná no final de julho, mas sem a torcida.