Foto: Reprodução/Montagem

Com a indecisão da CBF sobre qual regulamento deverá ser adotado no Campeonato Brasileiro das Séries A e B em 2020, a Banda B decidiu voltar no tempo e relembrar as campanhas de Athletico, Coritiba e Paraná Clube na última vez em que o campeonato nacional foi disputado no formato mata-mata, em 2002. Naquele ano, o Santos sagrou-se campeão, liderado por Robinho e Diego.

Já o Trio de Ferro paranaense não teve um bom desempenho no Brasileirão e nenhum dos três chegou às fases eliminatórias do torneio. O Athletico, que havia conquistado o título em 2001, fez uma campanha ruim e terminou apenas na 14ª colocação. O Coritiba, com a melhor campanha entre os paranaenses, conseguiu o 11º lugar. Já o Paraná Clube brigou pelo rebaixamento até a última rodada, mas escapou após um empate fora de casa. Confira:

Athletico

O então atual campeão Brasileiro Athletico (que na época ainda era ‘Atlético’) não fez jus à campanha memorável do ano anterior. Mesmo tendo participado da Libertadores na mesma temporada, o time perdeu o comando de Geninho em maio, após um desacerto entre ele a diretoria, que não chegaram a um acordo salarial após a inédita conquista. O time ainda foi Supercampeão Paranaense daquele ano, ao vencer o Paraná na grande final.

No Brasileirão, a equipe venceu apenas nove partidas em vinte e cinco rodadas, empatou sete e perdeu nove vezes. O time terminou com 34 pontos, cinco a menos que o Santos, oitavo colocado e último classificado às quartas de final. Os grandes nomes daquela equipe eram Kleber Pereira, Dagoberto e Adriano Gabiru.

O grande jogo daquela campanha foi a vitória do Athletico contra o Corinthians, por 3×0, em pleno Pacaembu. Veja o vídeo:

Coritiba

O Coritiba, que seria campeão paranaense no ano seguinte, tinha um bom time. Lúcio Flávio, Reginaldo Nascimento, Fernando Prass, Tcheco e Edinho Baiano eram peças fundamentais no esquema tático do técnico Paulo Bonamigo. Mesmo assim, a equipe não conseguiu uma campanha memorável e terminou a 1ª fase do Brasileiro com 36 pontos: onze vitórias, três empates e onze derrotas.

O jogo memorável do Coxa em 2002 foi uma vitória contra o Santos, que conquistaria o título na temporada. Veja o vídeo:

Paraná Clube

Campeão do Módulo Amarelo da Copa João Havelange em 2000, o time paranista tinha poucos remanescentes na equipe de 2002. O time contava com as lideranças do goleiro Marcos, do zagueiro Xandão, dos meias Sidnei e Emerson, além do ídolo tricolor Maurílio. O atacante, inclusive, seria um dos artilheiros daquela competição, com 14 gols, mesmo com o mau retrospecto da equipe no Brasileiro.

Com o comando técnico de Otacílio Gonçalves, o Paraná terminou aquela edição do Campeonato Brasileiro na 22ª posição, com 28 pontos, um a mais que a Portuguesa, primeiro clube da zona de rebaixamento. Naquela época, 26 clubes competiam na elite do futebol nacional.

O Tricolor brigou boa parte do torneio na parte de baixo da tabela e se salvou do rebaixamento apenas na última rodadas, após um sofrido empate por 2×2 contra o Figueirense, em Florianópolis. Ambos os gols foram marcados por Maurílio. Veja o vídeo: