Alex Brasil. (Felipe Dalke/Banda B)

O Paraná iniciou os trabalhos de maneira remota na última segunda-feira (04), mas ainda não tem data definida para o retorno dos treinamentos no CT Ninho da Gralha. Em entrevista à Banda B, o diretor de futebol do Tricolor, Alex Brasil, ressaltou que o clube já tem um protocolo médico e o principal foco é pela integridade de todos os funcionários.

“A gente tem esse protocolo e vai fazer o caminho certo. Acredito que esse protocolo será levado para a Secretária e será avaliado. Discutimos internamente sobre a segurança e que o pico pode ser atingido nas próximas duas semanas. Preservamos pela integridade dos atletas e de todos que fazem parte do dia a dia do trabalho”, comentou Brasil.

O dirigente paranista ainda admitiu que tem preocupação com o futuro dos estaduais, mas acredita que o Campeonato Brasileiro será disputado em campo. “Vai ter o campeonato nacional e será terminado no campo. A preocupação será com os estaduais. Conversei com o pessoal onde trabalhei lá fora e agora começaram os trabalhos em grupos separados. A gente poderia esperar pouco mais até porque eles estavam na frente em relação à pandemia. Temos que ter muita preocupação e cuidado com os atletas”, disse.

“É uma fatalidade que ocorreu e temos que se reinventar. Temos uma grande oportunidade de até igualar o calendário. Foge um pouco da nossa alçada, mas existem pessoas no futebol brasileiro que estão debatendo isso. Que tudo seja bem feito e, principalmente, com segurança para retornar aos trabalhos”, acrescentou.

Em relação à formação do elenco, o dirigente paranista não deu pistas de quantos reforços será contratados principalmente para a disputa da Série B, mas confirmou que um lateral-direito chegará nas próximas semanas para suprir a saída de Rafael França. “Vamos repor a saída de um lateral. Nós acabamos esbarrando na incerteza também. Estávamos negociando com um atleta de outro estadual, mas não dá para fazer nada por agora. Desde o início, a gente procurou fazer a política com os pés no chão e com uma preocupação enorme com a receita. Em números a gente não fala, mas estamos atento aos grandes jogadores que se encaixam na nossa realidade. Não tem como falar em precisão quem vai vir, mas vamos ter um grupo enxuto”, analisou.