A Banda B apresenta uma série de reportagens sobre quatro personagens importantes do futebol paranaense: Joaquim Américo Guimarães, Major Antônio Couto Pereira, Durival Britto e Silva, e Érton Coelho Queiroz. O quarteto dá nome aos principais estádios de Curitiba.

Conheça a história de Érton Coelho Queiroz

Érton Coelho Queiroz. (Arquivo/Museu Paranista)

O contador Érton Coelho Queiroz nasceu em Ranchão, no Maranhão, em 02 de maio de 1939, e faleceu em 17 de janeiro de 1986, aos 47 anos. Ele foi presidente do Esporte Clube Pinheiros, clube que se fundiu com o Colorado em 1989 para dar origem ao Paraná Clube. Além disso, foi responsável na década de 80 pelo crescimento do Pinheiros dentro de campo e pela compra do terreno da Vila Olímpica do Boqueirão.

“Era um contador, sócio do Esporte Clube Água Verde e começou ser ativo administrativamente no clube até assumir a presidência do Pinheiros, quando o clube estava na segunda divisão estadual em 1982. Ele conquistou o título estadual em 1984, o que não acontecia desde o Água Verde em 1967, e foi reconhecido pelo seu trabalho na área social e patrimonial no Pinheiros. Ele inaugurou a Sede Social da Kennedy e comprou uma área para o estádio no bairro do Boqueirão”, contou Willian Bohlen, do Museu Paranista, em entrevista à Banda B.

O local era uma antiga fazenda no bairro do Boqueirão, em Curitiba, e foi adquirido pelo Pinheiros em 1975. O então presidente do clube, Érton Coelho Queiroz, apostou em um estádio próprio, que se tornou o principal do clube na década de 1980. A primeira partida foi no feriado do dia 07 de setembro de 1983, com a vitória do Pinheiros por 1 a 0 no clássico contra o Coritiba.

O estádio foi palco de diversas conquistas do Pinheiros e do próprio Paraná no Campeonato Paranaense. No pentacampeonato paranista, em 1997, a torcida quebrou o recorde de público: 18.245 torcedores acompanharam a vitória por 3 a 0 sobre o União Bandeirante.

Por que o estádio foi batizado de Érton Coelho Queiroz?

Imagem da Vila Olímpico no começo da década de 2010. (Geraldo Bubniak/AGB)

A Vila Olímpica do Boqueirão só recebeu o nome de Érton Coelho Queiroz após a morte de seu presidente. De acordo com Bohlen, a decisão foi para homenageá-lo por todos os feitos como mandatário do Pinheiros.

“O estádio se chamava apenas Vila Olímpica do Boqueirão até o falecimento do presidente Érton Coelho Queiroz aos 47 anos, em 1986, quando tinha acabado de se reeleger pela terceira vez. Por todos os seus feitos e conquistas, foi homenageado com o nome do estádio após seu falecimento. O estádio foi inaugurado no dia 07 de setembro de 1983, um dia frio e chuvoso, na partida que o Pinheiros derrotou o Coritiba”, explicou o historiador.

Conheça o trabalho do Museu Paranista