Presidente Leonardo Oliveira durante o arbitral do Campeonato Paranaense. (Pedro Melo/Banda B)

O presidente Leonardo Oliveira salientou a importância do Paraná realizar um bom Campeonato Paranaense no início de 2019 para resgatar a confiança do torcedor. Na atual temporada, o Tricolor não disputou nenhuma final de turno no estadual, caiu ainda na segunda fase da Copa do Brasil e é o lanterna absoluto do Brasileirão, com somente 17 pontos.

“Precisamos no ano que vem retomar a disputa pensando em fazer um bom desempenho no estadual já para retomar a confiança do torcedor e ter um Brasileiro com um bom resultado para retornar à Série A”, afirmou o presidente paranista.

Faltando nove rodadas para o término da Série A, o Paraná tem 16 pontos de desvantagem para o primeiro time fora da zona de rebaixamento. Para evitar a queda, o Tricolor precisa conquistar uma sequência de vitórias inédita no ano. O mandatário admitiu que o rebaixamento está praticamente definido, mas prometeu terminar o ano com o respeito que o torcedor merece.

“Nós precisamos disputar o campeonato com o respeito que ele e o torcedor do Paraná merecem. Vamos continuar disputando o campeonato na melhor condição possível e lógico que pensando no ano de 2019. A situação nesse campeonato está praticamente definida e temos que estabelecer um bom início de trabalho para 2019. Infelizmente, isso já era uma possibilidade no início do campeonato e o nosso desempenho é compatível ao nosso investimento”, disse Oliveira.

Arbitral do Campeonato Paranaense

Leonardo Oliveira representou o Paraná no arbitral do Campeonato Paranaense de 2019. O Tricolor está no grupo B ao lado do Coritiba, Cianorte, FC Cascavel, Rio Branco e Cascavel CR. Um dos assuntos debatidos na reunião foi a cota da televisão que só pode ser modificada em 2020. De acordo com o presidente, uma divisão mais igualitária das cotas de televisão deixará a competição mais equilibrada.

“O primeiro passo para valorizar o campeonato é ter uma unidade entre os times que disputam o campeonato. Esse é um tema que a Federação vai precisar ter habilidade política para tratar durante esse ano para que na próxima negociação tenhamos um representante negociando com a televisão ou todos os clubes decididos a assinar o contrato ficando a discussão dos valores como única pendência”, explicou o presidente.

O Paraná, junto com o Coritiba, vai receber R$ 600 mil pelos direitos de transmissão, o Londrina, R$ 500 mil, e os demais clubes, R$ 375 mil. Já a Federação Paranaense de Futebol (FPF) vai levar R$ 300 mil.