(Geraldo Bubniak /AGB)

De volta aos treinos presenciais desde o início desta semana, os jogadores do Paraná começaram a retomar sua rotina de trabalhos físicos, em preparação para o retorno ainda indefinido do Campeonato Paranaense. Não é diferente para o time de goleiros do Tricolor, um dos setores mais elogiados da equipe no Estadual, seja com a presença de Marcos ou de Alisson, virtual titular da equipe, recém recuperado de uma fratura na face, sofrida durante partida contra o Operário, no dia 16 de fevereiro.

O preparador de goleiros do Paraná, Marcos Tedeschi, conversou com a Banda B, durante o programa Balanço Esportivo, e trouxe detalhes do início da preparação dos goleiros durante a pandemia, que priorizou atividades de manuntenção de força e velocidade de reação.

“Houve uma preocupação muito grande minha e do departamento de fisiologia durante essa parada com o Alisson, que estava voltando de lesão. Demos ênfase nos treinos de força principalmente, para que não houvesse perda desse fundamento, e fizemos treinos mais individualizados. Foi um sucesso, pois nossas avaliações mostraram que o nível de força e potência continuam os mesmos da época em que os jogos estavam sendo disputados”, revelou Tedeschi.

Segundo ele, os goleiros, mais prejudicados durante a quarentena, pois trabalham com exercícios mais específicos com a bola, já puderam retornar a alguns trabalhos físicos e de velocidade. “Nesses primeiros dias nós já conseguimos uma readaptação com a bola, com alguns gestos específicos da função, sem contar a velocidade de reação e demais atividades fundamentais para o exercício de um goleiro”, acrescentou.

O Paraná segue cumprindo um cuidadoso protocolo de saúde em seus treinos, com grupos reduzidos de trabalho com até sete jogadores, respeitando o distanciamento social e os procedimentos de higiene e prevenção para a saúde de funcionários e atletas. Quando retornar o Estadual, o Tricolor enfrentará o Coritiba nas quartas de final.